O que propõem ao Centro Sul os candidatos a governador - Jornal Iratiin

Recente

Home Top Ad

Post Top Ad

sexta-feira, 3 de outubro de 2014

O que propõem ao Centro Sul os candidatos a governador

Os três principais candidatos ao Governo do Paraná – Beto Richa (PSDB), Gleisi Hoffmann (PT) e Roberto Requião (PMDB) estiveram durante a campanha em municípios da região.


Em diferentes ocasiões, a equipe do Jornal  Hoje Centro Sul entrevistou os candidatos e ouviu as principais propostas  destinadas à atender a população dos municípios do Centro Sul do Paraná.






Beto Richa

Nome: Carlos Alberto Richa
Partido: Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB)
Idade: 49 anos
Formação: ensino superior completo em Engenharia Civil
Ocupação/profissão: engenheiro civil e governador
Religião: católica
Cargos públicos: Deputado estadual de 1995 a 2001. Em Curitiba: vice-prefeito de 2000 a 2004, secretário de Obras Públicas em 2001, prefeito de 2004 a 2010. Governador do Paraná desde 2011.
Parentes na política: José Richa, ex-governador (pai). Fernanda Richa, ex-presidente da Fundação de Ação Social de Curitiba e ex-secretária da Família e Desenvolvimento Social do Paraná (esposa). Gustavo Richa, vereador em Londrina (primo)
Beto Richa (PSDB), candidato à reeleição pela coligação ‘Todos Pelo Paraná’ (PSDB / PROS / DEM / PSB / PSD / PTB / PP / PPS / PSC / PR / SD / PSL / PSDC / PMN / PHS / PEN / PT do B) destaca, dentre suas principais propostas  para o Centro Sul, o apoio ao setor agrícola e a construção da estrada que liga Irati a São Mateus do Sul.

O grande peso que o setor agrícola possui na economia da regional foi enfatizado pelo candidato. Ele citou programas que já vêm sendo desenvolvidos em apoio aos produtores rurais, que acredita que precisam ter continuidade.  Dentre eles, os programas de repasse de calcário e de óleo diesel para os municípios,  além do programa voltado à recuperação de estradas rurais, denominado Patrulhas do Campo. "Não tínhamos esse serviço de patrulhas, eram pouquíssimas e com o maquinário sucateado. Hoje, são trinta Patrulhas em todas as regiões do Estado e esta região [Centro Sul] é das mais beneficiadas, temos duas patrulhas entregues aqui há um ano e meio, dois anos. E comemoramos o marco de 2.500 quilômetros de estradas rurais já recuperadas", afirmou.

Outro assunto de interesse regional destacado pelo atual governador foi o asfalto entre Irati e São Mateus do Sul. Ele comentou que a população aguarda pelo início da obra há muitos anos e explicou que, durante seu governo,  ocorreram iniciativas para a execução deste asfalto, mas houve demora para a liberação de recursos que poderiam custear a obra. "Agora, recentemente o recurso entrou no caixa e nós vamos promover o processo de elaboração do edital de licitação e o mais rápido possível iniciarmos a obra de asfalto entre Irati e São Mateus do Sul", finalizou Beto Richa.

* Entrevista realizada em 08 de agosto, durante a 5ª Festa Nacional do Feijão Preto (Fenafep), em Prudentópolis. 


Gleisi Hoffmann
Ciro Ivatiuk/Hoje Centro Sul
Nome: Gleisi Helena Hoffmann
Partido: Partido dos Trabalhadores (PT)
Idade: 49 anos
Formação: ensino superior completo em Direito, pós-graduação em Gestão de Organizações Públicas e Administração Financeira
Ocupação/profissão: advogada e senadora
Cargo público:  Secretária de Reestruturação Administrativa em 1999 no Mato Grosso do Sul. Secretária de Gestão Pública em 2001 em Londrina. Diretora Financeira da Itaipu Binacional de 2003 a 2006. Senadora de 2010 a 2014 e ministra-chefe da Casa Civil de 2011 a 2014
Parentes na política: Paulo Bernardo Silva, ministro das Comunicações (marido)
 A senadora Gleisi Hoffmann (PT) é candidata ao Governo do Paraná pela coligação ‘Paraná Olhando pra Frente’ (PT / PDT / PC do B / PRB / PTN). Para atender a população dos municípios do Centro Sul, dentre suas principais propostas estão o compromisso em estabelecer novas políticas públicas para a agricultura e saúde.

A candidata falou que o apoio à agricultura, sobretudo no que diz respeito à assistência técnica, será uma das prioridades de seu governo para o Centro Sul do Paraná. “Essa é uma região que tem forte agricultura familiar. Hoje, o nosso agricultor tem crédito com juro barato, de 3,5% ao ano, pode fazer investimento na propriedade, mas nós temos uma carência de assistência técnica e extensão rural. Nós precisamos urgentemente ter um reequipamento da Emater, que está sucateada, mas também fazer convênios para trazer as cooperativas de assistência técnica e extensão rural, trazer as nossas universidades e institutos tecnológicos, fazer uma grande ação para que a gente possa dar condição aos nossos agricultores, para que eles produzam e possam comercializar a sua safra, ganhando mais”, completou.

Ela também ressaltou que uma das suas principais propostas de governo é desenvolver um plano de especialidades aos moldes do Programa Mais Médicos. “Essa é das minhas prioridades. Nós vamos fazer o [programa] Mais Médicos Especialistas. Hoje, as pessoas ficam na fila esperando especialidades e quando conseguem o exame ou a consulta, já desenvolveram um câncer. É um drama para a pessoa, para a família e é mais caro para o Estado tratar. Esse programa não é necessariamente trazer médicos de fora, até porque nós temos muitos especialistas aqui no Brasil. Esse programa tem como objetivo contratar consultas junto com consórcios municipais, organizar os centros de especialidades, colocar dinheiro na saúde, contratar exames e fazer um mutirão no início, para que a gente possa acabar com a fila”, finalizou.

* Entrevista realizada em 12 de setembro, quando a candidata esteve reunida com lideranças políticas, em Irati.

 Roberto Requião

Ciro Ivatiuk/Hoje Centro Sul
Nome: Roberto Requião de Mello e Silva
Partido: Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB)
Idade: 73 anos
Formação: ensino superior completo em Jornalismo, Direito e Urbanismo
Ocupação/profissão: jornalista, advogado e senador
Cargos públicos: Deputado estadual de 1983 a 1985. Prefeito de Curitiba de 1986 a 1989. Secretário de Desenvolvimento Urbano no Paraná de 1989 a 1990. Governador do Paraná por três mandatos: 1991 a 1995,  2003 a 2006 e  2007 a 2010.  Senador de 1995 a 2002 e de 2010 a 2014.
Parente na política:
João Arruda, deputado federal (sobrinho)

Ex-governador e atual senador, Roberto Requião (PMDB), é candidato à governador pela coligação ‘Paraná com Governo’ (PMDB, PV e PPL).  Dentre as propostas para os municípios da região, citou a retomada de projetos  que existiam quando ele era o chefe do Executivo do Estado e a finalização do teatro Denise Stoklos.
Requião explicou que o compromisso com a região Centro Sul é o mesmo de antes e não irá criar novos programas. “Vou atender a região como todo o Estado do Paraná. Compromisso com o comércio, indústria, agricultura, enfim, através dos 300 programas que nós já realizamos. Não vou inventar nada de novo”, afirmou. Sobre a situação do teatro Denise Stoklos, o candidato a governador ressaltou que, caso seja eleito, dará continuidade às obras. “Eu não sei por que não foi terminado. Esse projeto retorna no dia seguinte da minha posse, nem que seja eu a vir mexer cimento aqui e colar azulejo na parede”, destacou.
Além disso, o senador reafirmou seu compromisso com a baixa do pedágio e se comprometeu a fazer melhorias em hospitais de todo o Estado. “Eu pretendo colocar pra funcionar os 44 hospitais que nós construímos e estão abandonados. E junto com os 2.500 postos de saúde que existem no Estado e hoje têm condições precárias de instalação física, não tem remédio e não tem médico. Vamos colocar o Estado pra funcionar, o Estado está parado. Sobre o pedágio, minha posição é conhecida: é um roubo e tem que ser contido”, finalizou.
* Entrevista realizada em 22 de julho, durante participação do candidato em reunião com lideranças políticas, em Irati.

Kyene Becker e Letícia Torres/Hoje Centro Sul


*(em ordem alfabética)


Imprima sua cola, anote o número do seu candidato e leve com você no dia da eleição!