Servidores municipais realizam manifestação em frente à prefeitura de Irati - Jornal Iratiin

Recente

Home Top Ad

Post Top Ad

quarta-feira, 7 de maio de 2014

Servidores municipais realizam manifestação em frente à prefeitura de Irati



Membros da diretoria do sindicato, servidores que participaram da manifestação e membros da prefeitura formarão uma comissão para avaliar o orçamento do poder público municipal

Na manhã desta quarta-feira (07), aproximadamente 150 funcionários públicos de Irati se reuniram em frente à prefeitura para fazer uma manifestação por melhores condições de salário. O pedido dos funcionários é de 7,91% de aumento na data-base - 5,91% da inflação mais 2% de aumento real.

Na manifestação de hoje, servidores cantaram o hino nacional em frente ao poder executivo municipal, além de entoar cantos em forma de protesto. Após o primeiro momento, membros da diretoria e alguns representantes do sindicato, se reuniram com o prefeito para negociar e buscar soluções às reivindicações dos servidores municipais.
Decisão da reunião
Após quase duas horas de conversa, servidores e o poder Executivo chegaram a um acordo. Será montada uma comissão entre membros da diretoria do sindicato, funcionários públicos e prefeitura, para que possam analisar a partir de junho os gastos e lucros do município.
“Então vamos montar uma comissão formada por membros do sindicato, prefeitura e movimento e em junho vamos avaliar junto com a prefeitura o impacto do 7,3% na folha de pagamento e a questão já desses ajustes que a prefeitura ta fazendo, para que em setembro com o final da arrecadação do IPTU e o aumento das demais arrecadações para que a gente possa definir o percentual de reajuste da data base”, explica o presidente do Sindicato dos Servidores Municipais de Irati, José Bodnar.
Além da redução de 10% dos cargos comissionados e funções gratificadas, no mês de junho será pago 7,3% referente à ação dos 35%. E então, a partir disso será analisado o pagamento para que se possa discutir novamente se há a possibilidade ou não de reajuste da data-base.

Texto e fotos: Augusto Travensolli/Hoje Centro Sul