Cicloturismo vai explorar potenciais culturais e naturais do Pinho de Baixo - Jornal Iratiin

Recente

Home Top Ad

Post Top Ad

segunda-feira, 21 de abril de 2014

Cicloturismo vai explorar potenciais culturais e naturais do Pinho de Baixo

Foto: Fabio Barby


Em sua segunda edição, o Cicloturismo Irati vai levar os participantes para conhecer atrações culturais e naturais da região do Pinho de Baixo, no domingo, 27. No trajeto de 27 quilômetros estão inclusas visitas a um museu que retrata a colonização italiana na comunidade, a uma vinícola e também a Cachoeira do Pinho, onde haverá uma trilha por dentro do rio.
As inscrições estão abertas a partir da próxima segunda-feira, 14, e podem ser feitas até o dia 24, nos seguintes locais: Ciclo Park; Cicles Guarani e Piru Bikes. O custo é de R$30,00 por participante, com direito a almoço no Pavilhão da Igreja São Sebastião, e ao Kit Cicloturismo.

CICLOTURISMO – ROTA PINHO DE BAIXO
- Concentração para o evento às 7h30 na Colina Nossa Senhora das Graças;
- Saída às 8h na Colina Nossa Senhora das Graças (km 00);
- Visitação a “Casa Dei Nonni”, museu que retrata a colonização italiana em Irati, e principalmente em Pinho de Baixo (km 07);
- Cachoeira do Pinho, caminhada de aproximadamente um quilômetro (ida) por trilhas, com passagem por dentro do rio (km 09);
- Almoço no Pavilhão da Capela São Sebastião servido pelo grupo folclórico local (km 13);
- Visita a vinícola para que os cicloturistas possam conhecer o processo de fabricação dos vinhos artesanais;
- Chegada no Parque Aquático (km 27);
Os participantes devem levar roupa e calçado reserva, e durante a caminhada as bikes ficarão sob os cuidados da Guarda Municipal. Além disso, durante a tarde haverá um tempo livre para confraternização.


PROJETO
O Cicloturismo em Irati surgiu com o objetivo de mostrar que o município tem grande potencial para o turismo. Segundo o diretor do Departamento de Turismo, José Basílio Salomão o evento é uma forma de apresentar o que existe em Irati, e ir além de mostrar a cidade, mas principalmente dar enfoque para o interior, este com tantas riquezas, muitas vezes intocáveis.
“É uma atividade esportiva-cultural e turística voltada a sustentabilidade, preservação do meio ambiente e da memória. O projeto engloba o turismo e tem sua essência nele, visto que os cicloturistas passam por paisagens paradisíacas. Belíssimas cachoeiras e quedas d’água, igrejas, construções típicas, pousadas, locais de infraestrutura para o turismo dentre outros atrativos. Locais como Itapará e imediações, Pinho de Baixo e a Floresta Nacional de Irati, são de riquíssima cultura e tradição que podem ser amplamente explorados turisticamente”, considera Salomão.
O projeto está desenvolvido com base em três rotas distintas: Pinho de Baixo, em abril de cada ano subsequente; Floresta Nacional de Irati (Flona), em agosto de cada ano e Itapará, sempre em novembro. “O Cicloturismo abre a oportunidade dos habitantes de desenvolver o empreendedorismo, pois esta atividade tornando-se constante e com uma boa divulgação, os praticantes tornam-se compradores de diversos bens de consumo, como alimentos e artesanato local, além de incentivar amigos e familiares a conhecer as localidades”, afirma o diretor de Turismo.
No assunto de esporte e lazer, o pedal é muito rico em detalhes, pois há a atividade física em si, o lazer e apreciação dos atrativos, bem como, o contato com a população local e outros participantes, incentivando a socialização.

Secom Prefeitura de Irati