Fé e reflexão marcam a 18a Romaria do Itapará que aconteceu dia 09/03/2014 - Jornal Iratiin

Recente

Home Top Ad

Post Top Ad

terça-feira, 18 de março de 2014

Fé e reflexão marcam a 18a Romaria do Itapará que aconteceu dia 09/03/2014

Fé e reflexão marcam a 18a Romaria do Itapará que aconteceu dia 09/03/2014

Neste início de Quaresma, a tradicional Romaria do Itapará, reuniu mais de duas mil pessoas na Igreja Ucraniana Assunção de Nossa Senhora. Fiéis de diversos municípios participaram, no domingo (09), da Via-Sacra e da Celebração.   
De acordo com o responsável pela comunidade católica do Itapará e coordenador da Romaria, Padre Teodoro Haliski, cerca de 35 ônibus trouxeram os participantes do evento religioso, além de várias vans e muitos carros.  Católicos dos municípios de Irati, Prudentópolis, Ivaí, Mallet, Rebouças, Ponta Grossa, Antonio Olinto, além de outros  toda região, marcaram presença e foram recepcionados pelos sacerdotes, pelas irmãs Servas de Maria Imaculada e pela comunidade local.  
O dia de reflexão e penitência teve início na gruta, com a benção da água. Depois a Via sacra percorreu as quinze  estações para lembrar a tentação, o calvário e a ressurreição de Cristo. Belas mensagens sobre o sentido do cristianismo foram sendo pregadas pelo Padre Paulo Serbai , enquanto os romeiros subiam as calçadas inclinadas da Igreja Assunção de Nossa Senhora  e se prostravam em cada estação para fazer preces  de perdão ou de agradecimento a Deus.  As celebrações foram  em português, com algumas partes em ucraniano - o que incluiu muitos cânticos.
Logo após a Via Sacra, houve a Missa no altar externo à Igreja.Os fiéis se acomodaram em bancos ou locais a sombra para acompanhar a cerimônia.
O  Padre Teodoro Haliski destaca que  a Romaria do Itapará que, em 2014, chegou à 18a edição, "é uma Romaria Penitencial , que tem a celebração baseada na Quaresma".  Por considerar este aspecto, as lideranças da Igreja Assunção de Nossa Senhora, que pertence à Paróquia Imaculado Coração de Maria, optam pela não realização de leilões e pela permissão apenas de músicas sacras durante o evento. 
Após a Missa, foram servidos churrasco e outros alimentos aos presentes.
Para preparar as comidas e organizar todos os detalhes da Romaria houve uma grande mobilização dos moradores de Itapará e também das comunidades próximas. Segundo o  Padre Teodoro Haliski, mais de cem pessoas trabalharam no sábado (08) nos preparativos do evento. A renda da festa será utilizada para fazer as adequações necessárias na cozinha do pavilhão.
 Origem da Romaria
Em Santa Catarina, há um município chamado Itaiópolis, que possui o Distrito de Iracema, onde as romarias são realizadas há mais de trinta anos.  Um padre veio de Iracema para atuar em Itapará e na época em que estava em Irati a igreja foi construída. Então, este padre [Pedro Baltar]  aproveitou a experiência que possuía na organização de romarias e propôs a edificação das estações para que começasse a ocorrer a Romaria do Itapará.  "No início houve um número muito grande de participantes, mas aqui não havia estrutura", conta o Padre Teodoro Haliski. As primeiras romarias chegaram a reunir  oitenta ônibus.
Distrito de Itapará
Situado a cerca de sessenta quilômetros do centro de Irati, o Distrito de Itapará é conhecido pelo fato da grande maioria de seus moradores  ser descente de ucranianos. Um forte fluxo migratório desta etnia se direcionou para Itapará por volta de 1908. Alguns destes imigrantes tiveram seus filhos, netos, bisnetos em Itapará e nunca deixaram a localidade.  As características eslavas são marcantes entre os moradores do Distrito. Eles sobrevivem do cultivo da terra, principalmente em pequenas propriedades.
Beleza
A beleza do lugar é impar. Próxima à Serra da Esperança,  Itapará surpreende quem a visita com uma paisagem repleta de pinheiros, casas de madeira bem conservadas, a  arquitetura esplendorosa da Igreja Assunção de Nossa Senhora e, ainda, uma bela cachoeira bem próxima da sede do Distrito.
Na língua indígena, o nome  Itapará  significa a "Pedra que Brilha". Realmente, o brilho, o encanto desta localidade rural de Irati é enorme, seja pela preservação da cultura ucraniana, pela religiosidade marcante de seus moradores ou mesmo pela paisagem de beleza generosa. 

Texto: Letícia Torres
Fotos: Ciro Ivatiuk e Letícia Torres