Fernandes Pinheiro continua trabalhando para legalizar a situação de aterro sanitário - Jornal Iratiin

Recente

Home Top Ad

Post Top Ad

sábado, 6 de junho de 2015

Fernandes Pinheiro continua trabalhando para legalizar a situação de aterro sanitário

No dia 09 de março, o município de Fernandes Pinheiro foi autuado pelo Instituto Ambiental do Paraná (IAP) em R$5 mil devido à disposição de resíduos a céu aberto. Além disso, o depósito de lixo nas valas do aterro foi embargado. A situação foi tema de reportagem do Jornal Hoje Centro Sul, na edição 764, de 11 de março de 2015. Dois meses e meio após a constatação da irregularidade, novamente a equipe do jornal verificou a questão e constatou que o município de Fernandes Pinheiro ainda está trabalhando para legalizar a situação do aterro sanitário municipal.



Kyene Becker/Hoje Centro Sul
Em visita ao local na tarde de segunda-feira (01), a chefe do Departamento de Engenharia da Prefeitura Municipal de Fernandes Pinheiro, Alda Vizinoni Solda, explicou que espera solucionar o problema até o final de junho. “Estamos trabalhando para resolver essa situação o quanto antes. Já adiantamos bastante coisa e, até o final do mês, esperamos estar dentro das exigências do Instituto Ambiental do Paraná. Ainda falta construir o piso e a bacia de contenção para atingirmos essa meta”, completa.

Alda ressalta que a Prefeitura de Fernandes Pinheiro está visitando municípios da região para trocar informações sobre o aterro municipal e  tentar adaptar o que está sendo feito em outros locais para a realidade de Fernandes Pinheiro.

Sobre a questão do depósito de lixo a céu aberto, a chefe do Departamento de Engenharia destacou que as valas foram fechadas e a Prefeitura pretende começar um plano de recuperação da área ainda nesse mês. “O muro que iria proteger o container caiu e o caminhão não pôde colocar o lixo daquela semana para transbordo. Então, eles despejaram dentro uma vala que continuava aberta. Foi um erro nosso, mas após a visita do IAP, a vala foi fechada e a Secretaria de Meio Ambiente já começou a desenvolver um plano para recuperação de toda a área”.

Para se adequar à Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei 12.305/2010), que previa o encerramento de todos os lixões no país, o município de Fernandes Pinheiro optou pela atividade de transbordo, onde o lixo é depositado em containeres e, posteriormente, pesado, separado e enviado para um aterro sanitário adequado. Alda conta que, por conta disso, o município também pretende investir em uma cobertura para os containeres. “Como pagamos pelo peso do lixo, se o container fica no tempo, pegando água e umidade, ficará mais pesado. Logo, vamos pagar mais caro”, completa.
A assessoria de comunicação do IAP não foi encontrada para informar se ocorreram novas vistorias no local, pois o órgão ambiental está em greve desde o dia 25 de maio.

Multa
No mês de março, o Jornal Hoje Centro Sul recebeu denúncias de que resíduos hospitalares – seringas, equipo, frascos de soro e medicamentos – estariam sendo descartados no aterro de Fernandes Pinheiro. Após investigação jornalística que constatou de fato o problema, a equipe do Hoje Centro Sul entrou em contato com a Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Fernandes Pinheiro e também questionou o Instituto Ambiental do Paraná (IAP) sobre o fato e os procedimentos que seriam adotados.

Técnicos do IAP avaliaram o local de depósito de lixo em Fernandes Pinheiro no dia 06 de março, porém, não encontraram materiais hospitalares irregulares, ou seja, materiais considerados infectantes. Entretanto, ele constataram o depósito de lixo a céu aberto, que é irregular.

Segundo a assessoria de comunicação do IAP, o município foi autuado em R$5 mil pela disposição de resíduos a céu aberto. Além disso, o depósito de lixo nas valas do aterro foi embargado.

 Kyene Becker/Hoje Centro Sul