Autoridades alertam sobre infestação de mosquitos da dengue na região - Jornal Iratiin

Recente

Home Top Ad

Post Top Ad

sábado, 23 de maio de 2015

Autoridades alertam sobre infestação de mosquitos da dengue na região

A Secretaria Municipal de Saúde e a 4ª Regional de Saúde estão preocupados com o alto índice de larvas do mosquito da dengue encontrados em Irati. Segundo o chefe da 4ª Regional de Saúde, João Antonio Almeida Júnior, a preocupação está no fato de que os focos não foram encontrados apenas em áreas isoladas, mas em diferentes bairros da cidade. “A nossa preocupação é para que não tenhamos um surto de dengue, nós já estamos com uma infestação do mosquito, mas isso ainda não virou epidemia, já que apenas um caso foi registrado ano passado de pessoa que adquiriu o vírus aqui”.

Nos dias 28 e 29 de abril, foram distribuídas 117 armadilhas pelo município de Irati, para capturar o Aedes aegypti, o mosquito transmissor da dengue. Dessas armadilhas, oito foram positivadas, ou seja, foram capturados mosquitos. Além dessas oito capturas, mais doze foram realizadas pelos agentes da dengue que visitam as residências, além de 91 ovos que foram localizados.  No mês de abril, foram confirmados dois casos importados, nome que se dá quando a pessoa adquire o vírus em outra cidade ou estado e volta para a cidade de origem com a doença.

João explica que é preciso ter o máximo de precaução. “A população precisa ter o responsabilidade para que o mosquito não se procrie”, alerta. A Prefeitura Municipal de Irati, com o apoio de diversos órgãos públicos, já está tomando as devidas providências para realizar um mutirão nos próximos dias. “Nós estamos tentando evitar ao máximo a entrada do mosquito na nossa região, mas isso não depende só dos órgãos públicos, a população precisa cuidar e limpar o seu quintal”, diz João.
A Secretaria de Saúde e a 4ª Regional de Saúde orientam a comunidade para que não deixe água em recipientes. “Até um tempo se achava que o mosquito só procriava em água limpa e parada, mas não, ele também procria na água suja, por isso todo cuidado é pouco”, explica Emanuelly Pinheiro, secretária municipal de Saúde. Outro erro quando se pensa na procriação do mosquito, é que o mesmo não ocorre quando está frio.  “No ano passado, nós coletamos larvas vivas depois de uma geada, então o mosquito já está adaptado ao nosso clima”, diz Emanuelly. O chefe da 4ª Regional de Saúde afirma que algumas pessoas já podem estar infectadas pelo mosquito, mas não reconhecem os sintomas. A doença se manifesta de três a quinze dias após a picada, por isso a Saúde Pública alerta para que, caso a pessoa perceba qualquer sintoma relativo à dengue, procure imediatamente um posto de saúde. Os sintomas são: febre alta com início súbito, dor de cabeça, dor atrás dos olhos, perda do paladar e apetite, náuseas e vômitos, tontura, cansaço extremo, manchas e erupções na pele semelhantes ao sarampo, moleza, dor no corpo, dores nos ossos e articulações. “A dengue é uma doença que tem tratamento, mas se o tratamento vier muito tarde, há risco de óbito”, diz João.
Emanuelly faz um apelo para a população deixar os agentes entrarem em suas casas para fazer a vistoria, pois esta é uma questão de saúde pública. João ainda ressalta que um boato andou circulando na cidade sobre bandidos que estavam se disfarçando de agentes. “Os nossos agentes estão devidamente identificados e caso a pessoa tenha dúvidas é só ligar no 3907-3131, que será feita a confirmação do agente”, conclui o chefe da 4ª Regional de Saúde.

Ana Paula Schreider/Hoje Centro Sul