Colégio Florestal de Irati exporta técnicos para trabalhar em todo país - Jornal Iratiin

Recente

Home Top Ad

Post Top Ad

domingo, 24 de agosto de 2014

Colégio Florestal de Irati exporta técnicos para trabalhar em todo país

Centro Estadual Florestal de Educação Profissional (Cefep) Presidente Costa e Silva, na cidade de Irati, no Centro-Sul, é o único colégio público do Paraná que oferece o curso técnico em Florestas. A escola completou 40 anos em 2013 e é referência no Brasil na formação de técnicos para trabalhar com florestas.


O colégio tem uma fazenda-escola para os estudantes terem aulas práticas de reflorestamento, plantio, produção de mudas, tratamento do solo, poda e desbaste de árvores. A escola também oferece os cursos técnicos em Meio Ambiente e em Segurança do Trabalho. A fazenda do colégio tem 180 hectares, sendo 50 hectares de mudas nativas e outros 60 hectares de reflorestamento.

Dos 398 alunos que estudam na escola, 160 permanecem em regime de internato, de segunda a sexta-feira. O Cefep Presidente Costa e Silva recebe alunos de 12 cidades próximas a Irati e dos estados de Santa Catarina, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e São Paulo.

FORMAÇÃO - A estudante Daniele Monteiro, 18 anos, está no 3º ano e já trabalha na área de florestas, fazendo monitoramento, marcação de árvores, desbaste e inventário de florestas. Daniele é moradora de Mallet (Centro-Sul), 60 quilômetros do colégio, e afirma que o curso é uma grande oportunidade para começar uma carreira.

“Acho que é uma área que tem bastante espaço no mercado. O colégio é muito bom no aprendizado e essa experiência, de ficar em período integral na escola, vamos levar para a vida inteira. Já fiz vestibular e passei na área de agronomia que também é ligada ao setor florestal. O que aprendi aqui no colégio vou levar como base para a faculdade”, afirmou Daniele.

Além das atividades ao ar-livre para as aulas práticas, os alunos do Costa e Silva também contam com laboratórios de solos, sementes, química e física, laboratório de entomologia para estudo de insetos e pragas que afetam plantações, laboratório de tecnologia da madeira, laboratório de ciências ambientais e biologia, oficina de motosserras, marcenaria e serraria.
O diretor Gilmar Gumy afirma que o colégio se preocupa com empregabilidade dos cursos que oferece. “Exportamos alunos para todo o Brasil. Posso garantir que basicamente 70% a 80% dos estudantes que saem da escola já estão empregados”, explicou. Essa taxa é uma das razões da grande procura pelo curso.

Dyoni Teska, 16, está no 2º ano e optou pelo curso técnico para sair da escola com uma formação profissional. “Essa é uma área com bastante mercado de trabalho. Aqui tenho a oportunidade de sair no ensino médio com um diferencial”, disse. O aluno João Carlos Lemos Junior, 17, do 3º ano, optou pelo ensino integral para ficar o dia inteiro na escola. “A área florestal chama muita atenção, é um setor que está crescendo muito e tem bastante campo de trabalho”, definiu.

De acordo com o diretor Gilmar Gumy, as empresas não procuram funcionários apenas técnicos, mas que também saibam trabalhar em equipe e se comunicar bem. “Essas são características importantes na formação dos estudantes e sempre buscamos isso aqui na escola”, explicou.

PRESERVAÇÃO - Por ser uma escola agrícola e os cursos estarem envolvidos diretamente com a natureza, o cuidado com o meio ambiente é bastante presente no Cefep Costa e Silva. Desde a preocupação com os jardins e gramados até a separação do lixo reciclado do lixo orgânico.

Os alunos também ajudam na conservação do espaço externo do colégio. A partir do segundo ano os estudantes têm atividades extracurriculares e colaboram na manutenção da escola com podas e produção de mudas para o jardim.

Agência Estadual de Notícias