Servidor de Irati lança livro sobre Precificação - Jornal Iratiin

Recente

Home Top Ad

Post Top Ad

sábado, 16 de novembro de 2019

Servidor de Irati lança livro sobre Precificação


Recentemente, o servidor municipal concursado Haroldo José Andrade Mathias, da Prefeitura de Irati, lançou o livro "Reflexões sobre os Fatores que impactam no Processo de Precificação", pela editora Letras e Versos. 

Haroldo, que também é o autor do blog Vozes do Verbo, bacharel em Administração e Ciências Contábeis, e licenciado em Geografia, comenta um pouco sobre sua obra:

"A formação de preços é um processo complexo e sujeito a muitas variáveis, porém, é um elemento vital para sobrevivência das empresas e de grande relevância na percepção do cliente, e sendo o preço a base para grande parte da tributação, é importante para a sociedade. Pela minha formação em Administração, surgiu a ideia de desenvolver esta temática.





Ocorre que atualmente, na chamada “era informacional” há disponível para o gestor ou empresário, uma vastidão de materiais de qualidade e de possibilidades de formação que o capacitam a entender os processos de gestão. Seria inócuo escrever sobre algo que pode ser pesquisado em profundidade em diversos formatos e plataformas. Como graduado em Geografia e de certa forma um encantado pela dimensão humana desta disciplina, tentei aproximar duas interfaces que são de certa forma antagônicas: alguns elementos da Administração e outros da Geografia.

A administração tem como escopo a maximização do lucro, o foco concentra-se nas organizações e tem como resultado a reprodução das relações capitalistas. A Geografia, por outro lado, foca nas relações sociais, econômicas, culturais, que se desenvolvem em dado espaço. Sua visão mais abrangente permite fazer uma análise e uma síntese da interação de diferentes fatores que afetam a sociedade, nossas vidas e por que não dizer, as empresas...

Talvez seja este o diferencial do trabalho. Ao mesmo tempo em que ele traz conceitos técnicos, ferramentas gerenciais, funda-se na consciência de que a teoria e prática empresarial tem certo distanciamento. O empresário não tem tempo hábil nem todas as condições para ler e muito menos para aplicar o que a vasta teoria disponível descreve. O ambiente é complexo, volátil e em constante mudança. Por outro lado, mostra que o lucro, objetivo da empresa, não é o objetivo da sociedade. Tem-se no Brasil o discurso de que os empresários pagam muitos tributos. Esquece-se, porém, que eles estão inclusos nos preços pagos pelo consumidor. Esquece que estes recursos acabam beneficiando o setor produtivo, possibilitando o lucro. E não se considera que a sonegação é maior do que o orçamento da saúde ou da educação. Enfim, o livro traz ferramentas de gestão na forma de sugestões e de um convite à reflexão, já que cada empresa é única e tem suas especificidades, mas também chama a atenção para algo maior, para as relações e para os impactos da atividade econômica na sociedade, para a dimensão ética dos negócios e para uma reflexão sobre o próprio modo de produção, que em última análise, reflete o modo e no modo da sociedade viver.

Pessoalmente, posso dizer que esta jornada me trouxe uma experiência significativa de crescimento pessoal. Vivemos em uma sociedade imediatista, que busca soluções prontas, instantâneas e fáceis para tudo, desconsiderando que a maioria das conquistas e realizações são um processo, uma caminhada, onde cada passo é importante. As pessoas querem dietas para emagrecer em 15 dias, querem cursos para se capacitar em uma semana, querem aplicações que multipliquem seu patrimônio em um mês, enfim, uma sociedade que fundamenta seu comportamento na industrialização, e como tal, quer desembalar e consumir e não preparar o solo, plantar e colher.

Ao elaborar este livro, tentei ir na contramão desta tendência que afeta a todos nós. Pensava há tempos em realizar a obra, mas ela não saia do plano das ideias. O custo para revisar cada página já desanimava... tudo tornou-se mais significativo quanto pesquisei como fazer a editoração sozinho. Não ficou algo plenamente satisfatório, mas sei que foi uma realização e uma superação minha. Foi um aprendizado que acumulei e que poderei utilizar em outras oportunidades. Da mesma forma, pesquisei e aprendi utilizar um editor de imagens para criar sozinho a capa. Estudei regras gramaticais, e sem a pretensão de ser exato, possibilitaram escrever de modo a repassar a mensagem pretendida.

Publicar o livro não foi uma realização. Elaborar cada etapa dele sim. Um aprendizado que posso estender metafórica e analogamente para outros campos da vida.

Resta agora divulgar e esperar que as ideias contidas nele sejam relevantes para o maior número de pessoas possíveis. Não necessariamente buscando a concordância delas, mas levando-as a reflexão".