Santa Casa de Irati fará readequação de internamentos para regulação de serviços - Jornal Iratiin

Recente

Home Top Ad

Post Top Ad

sábado, 18 de abril de 2015

Santa Casa de Irati fará readequação de internamentos para regulação de serviços

O objetivo é organizar o atendimento de pacientes atendidos através do SUS para que as pessoas utilizem o hospital quando necessário e as unidades básicas de saúde quanto não precisarem de atendimentos de urgência e emergência

@Ana Paula Schreider/Hoje Centro Sul

Para organizar os atendimentos eletivos, urgências e emergências em todo o Paraná, a Secretaria de Saúde do Estado do Paraná está implantando, por módulos, um novo sistema de gestão integrada. 
Segundo Patrícia Padilha, chefe da Sessão de Controle, Regulação, Avaliação e Auditoria (SCRACA) da 4º Regional de Saúde de Irati, os hospitais paranaenses não tinham um sistema que regulasse consultas, atendimentos de alto custo e internações. “A Secretaria do Estado sentiu a necessidade de ter um sistema próprio, porque até então nós usávamos um sistema do município de Curitiba e éramos totalmente dependentes dele”, conta.


O sistema estadual de regulação -  denominado Solução Tecnológica Integrada de Gestão Estadual de Regulação Assistencial e contratada pelo Governo do Paraná em 2012  -   está sendo implantado em todo o Paraná através de módulos. Atualmente, a Santa Casa de Irati já utiliza os módulos de Consultas e Exames, de Central de Leitos e de Autorização de Procedimento Alto Custo (APAC).
Em 2014, através do módulo de Agendamentos Eletivos, foram agendadas 38.816 consultas em diversas especialidades ofertadas nos hospitais de Ponta Grossa, Campo Largo, Curitiba, e também nos prestadores da nossa regional de saúde, como a Clínica Renal Iraty, CIS/AMCESPAR, Santa Casa de Irati e Instituto de Olhos Fernando Duda.


O chefe da 4ª Regional de Saúde, João Almeida Júnior, explica que esses sistemas são todos interligados facilitando e agilizando os serviços. “Se o paciente não encontra vaga para internação em Irati, por exemplo, já vai ter uma leitura na tela do computador que encontra essa vaga em Guarapuava, Ponta Grossa, e vice-versa, com a Santa Casa recebendo pacientes de outros hospitais quando tiver vagas”, explica.


Módulo AIH
Agora, a Santa Casa de Irati, através do sistema estadual de regulação, vai implantar o módulo de Autorização de Internamento Hospitalar (AIH). Neste módulo, as solicitações de internamentos passam a ser autorizadas online pela auditoria médica regional em até 72 horas após a internação do paciente. Sem o sistema, o prazo desse procedimento era de um mês. A Santa Casa vai regular 434 internações e para que o módulo seja utilizado com sucesso faz-se necessário readequar o fluxo de encaminhamentos/internamentos de pacientes na Santa Casa de Irati.


O médico Ladislao Obrzut Neto, explica que com a readequação do encaminhamento de pacientes, a Santa Casa de Irati passa a trabalhar com seu propósito original, que é de atender urgências, emergências e internamentos. “Hoje muitos pacientes vão até a Santa Casa para fazer uma consulta de gripe, de dor de cabeça, dor no braço. Então esses pacientes serão encaminhados para a Unidade de Pronto Atendimento através do SUS”, relata.


Uma avaliação será feita assim que o paciente chegar à Santa Casa ou ao Pronto Atendimento, passando por uma triagem onde será definido o grau de urgência para o atendimento.
“Será definido por cores: vermelho, amarelo e laranja para os que precisam ser atendidos mais rapidamente; azul e verde para atendimentos que podem esperar até duas horas. O paciente que não tenha a necessidade de ser atendido na Santa Casa vai ser referenciado com uma carta e encaminhado para um posto de saúde, ou vice-versa”, explica Ladislao.


Segundo o diretor da 4a Regional de Saúde, ainda existe confusão de onde levar um doente. “A intenção principal da implantação desse módulo é que o hospital realmente cumpra a função de um hospital, pois hoje mais de 70% dos atendimentos realizados não são de um hospital e sim de um posto de saúde. Então nós queremos que as pessoas entendam que serviços devem procurar em cada lugar”, conclui.


Ana Paula Schreider/Hoje Centro Sul