Paróquia N. Sra. da Luz realiza 1ª ordenação diaconal de sua Matriz - Jornal Iratiin

Recente

Home Top Ad

Post Top Ad

terça-feira, 28 de abril de 2015

Paróquia N. Sra. da Luz realiza 1ª ordenação diaconal de sua Matriz

A palavra “diácono” em grego significa servo, assistente, pessoa pronta para obedecer, ser doutrinada e ensinada e servir.  Na Paróquia Nossa Senhora da Luz é inédita a ordenação de um diácono permanente, já foram celebradas ordenações sacerdotais, sendo que Luciano será o quinto a ser ordenado na comunidade.

@Ana Paula Schreider/Hoje Centro Sul
A última ordenação na igreja aconteceu há 21 anos. A Paróquia tem dois diáconos, mas que não foram ordenados ali.

O diácono faz parte do clero da igreja católica, assim como os padres e bispos. Existe o diácono permanente e o diácono transitório.


O diácono permanente é aquele homem casado, que tem família, filhos e que recebe o sacramento da ordem no 1º grau, que é o diaconato. Para os que seguem a carreira religiosa o diaconato é transitório, que é seguido do presbiterado, para os que vão se tornar padres, e o episcopado, para bispos, que são sacramentos da ordem de 2º e 3º graus.

O diácono permanente, como o próprio nome diz, é o homem que sempre vai ser diácono. “Por ter esposa ele sempre segue como diácono, mas se por alguma fatalidade ele ficar viúvo poderá fazer uma complementação de estudos e pedir para ser ordenado padre. Portanto, o diaconato é um caminho obrigatório dentro do sacramento da ordem, é o primeiro grau, assim o padre, antes de ser padre, é ordenado diácono e assim por diante, e nós como casamos ficamos permanentemente como diáconos”, explica Luciano Ferreira Silva, que será ordenado diácono no próximo domingo.
Luciano lecionava e morava com sua família na cidade de Ponta Grossa, após ser aprovado em concurso público veio para Irati, onde reside há um ano e dois meses. Ele fez toda a preparação diaconal em Ponta Grossa.

A preparação na escola diaconal dura 5 anos e Luciano afirma que o apoio da família é fundamental. “Eu tenho dois filhos pequenos, um de três e outro de cinco anos, e minha esposa dá a maior força, inclusive eu comecei a escola diaconal quando ainda era noivo, casei e tive meus filhos durante a escola, então a vocação é da família e não só do homem, por isso é primordial que a família dê o consentimento”.

“O diaconato é uma benção para a igreja, porque ele tem uma penetrabilidade na sociedade que muitas vezes o padre não tem, e não é porque ele não queira, mas é que o diácono está envolvido com o mundo do trabalho, com questões familiares, então o diácono leva a igreja para todos os lugares”, conclui Luciano.

Escola Diaconal
A Escola Diaconal Santo Estevão, da Diocese de Ponta Grossa, iniciou este ano a preparação de 54 candidatos ao diaconato permanente sendo cinco da cidade de Irati. São cinco anos de preparação, sendo que nesse período os candidatos passam os meses de janeiro e julho em regime de internato para os estudos mais intensivos e nos meses que permanecem em suas paróquias devem manter contato com seus párocos e comunidades, a fim de conhecer as famílias ao mesmo tempo em que se tornam mais conhecidos por elas. É uma troca de informações e conhecimentos que engrandece e une a comunidade no bem comum que é a evangelização.

Ana Paula Schreider/Hoje Centro Sul