Prefeito de Teixeira Soares detalha ações realizadas em 2014 e perspectivas futuras - Jornal Iratiin

Recente

Home Top Ad

Post Top Ad

sábado, 7 de fevereiro de 2015

Prefeito de Teixeira Soares detalha ações realizadas em 2014 e perspectivas futuras

Ivanor Muller (PSD) é prefeito de Teixeira Soares há seis anos. Nesse tempo, ele tem comandado o município com pulso firme e os bons resultados são visíveis, como diversas obras que ocorreram e projetos que mudaram bastante o município. "Todo dia, pela manhã, eu visito o pátio de máquinas, a secretaria de saúde, educação, etc. Essa firmeza eu sempre tive desde o primeiro mandato", afirmou.
Outro tática de Muller é manter o bom relacionamento com políticos de todas as esferas, mas principalmente fazer projetos e ter a documentação do município em dia, para que os recursos sejam liberados. O prefeito é enfático ao defender que não adianta apenas ser do mesmo partido ou ser amigo deste ou daquele governador, deputado, mas que é preciso estar com as certidões municipais regulares e apresentar os projetos corretamente, caso contrário não são liberados recursos.

Acompanhe as principais ações realizadas pela administração de Ivanor Muller em 2014 e as perspectivas para os próximos anos.


Como foi 2014 para Teixeira Soares, já que foi um ano atípico, com enchentes, eleições e Copa do Mundo?

Dois mil e quatorze foi um ano atípico, de uma administração que eu ainda não tinha passado. Nós tivemos três frentes que tivemos que reestruturar, então, foi mais uma experiência. Nós vínhamos de uma arrecadação meio baixa, mas no fim do ano conseguimos recuperar um pouco, conseguimos fechar o ano sem problemas. Também tivemos muitas conquistas, que já vieram dos anos de 2013 a 2014, melhorando o município naquilo que tinha que ser melhorado.

Quais as principais conquistas de 2014?

Em 2014, tivemos muitas conquistas, como por exemplo a rodoviária, a qual não foi muito fácil conseguir, mas conseguimos através de financiamento. Conseguimos também asfalto, recapes, estradas, maquinário, tivemos muitas obras, entre elas, a do Centro de Eventos, que é uma grande obra para o município e o espaço pôde ser muito bem utilizado. Recebemos também mais R$ 300 mil do deputado Sperafico e estamos fazendo melhorias no Centro de Eventos, como pista de laço, cerca. No ano de 2014, apesar da enchente que atingiu a região, conseguimos fazer uma grande festa de aniversário da cidade lá [no Centro de Eventos]. Também tivemos um grande ano na saúde, onde conquistamos carros novos, conseguimos verbas para uma UTI móvel, uma van, entre outros.

Ainda no setor de Saúde, como está a situação do Hospital?

Há algumas semanas, os vereadores aprovaram uma Associação dos Funcionários. Agora, nós vamos trabalhar com a associação. Porém, antes disso, os vereadores fizeram uma lei, pois estamos repassando os plantões para o hospital e os impostos são muito caros. Então, nós vamos repassar o dinheiro legal para essa associação, pois dentro da associação, os impostos são menores e sobra um pouco mais para o hospital. Independente disso, estamos conseguindo mantê-lo. O hospital é filantrópico, mas a prefeitura repassa os plantões, luz, água, alimentação, quase tudo, porque entendemos que a nossa população precisa desse lugar. É uma situação muito difícil para a administração, e o pessoal associa hospital com saúde, mas podemos destacar que tanto o hospital quanto a saúde, em geral, avançaram em 2014.

No ano passado houve a liberação da reforma do posto central, já está sendo feito? E no interior como estão as obras?

Já está em obras, elas começaram em janeiro. Nós conseguimos uma verba através do Ministério da Saúde de R$ 120 mil e outros R$ 30 mil de contrapartida da prefeitura. Já estamos reformando, vamos deixar tudo bem bonito para a população ser bem atendida.

No interior também temos os postos de saúde, temos o Che Guevara – uma unidade que conseguimos em Brasília, no valor de R$ 480 mil, e está em torno de 80% pronto –;  temos mais uma unidade no Assentamento São Joaquim, que é do mesmo convênio e também está com 80% da obra pronta. Essa unidade irá atender cerca de 150 famílias, pois vai atender as localidades de São Joaquim e Carvorite. Já na unidade do Che Guevara, a previsão de atendimento é de 90 famílias, porém, como a colônia Guaraúna também será assistida pela unidade, creio que mais de 120 famílias terão atendimento no Che Guevara. Para essa unidade, também quero ressaltar que teremos uma enfermeira em tempo integral para os primeiros socorros.

No setor da educação, no ano passado foi inaugurada uma creche grande aqui na cidade. Quantas crianças estão sendo atendidas?

A educação está crescendo a passos largos. A nova creche atende cerca de 130 crianças. Nós realizamos um concurso no ano passado e, nesse ano, cerca de 20 professores para a educação infantil foram chamados. Também na área da educação, estamos investindo em reformas nas escolas. Outra grande conquista é o avanço no transporte escolar. No começo do mandato, tínhamos apenas dois ônibus e, agora, temos 28 ônibus próprios, da prefeitura, para o transporte escolar. Para atender os universitários, nós temos dois ônibus para Irati e dois para Ponta Grossa, sem custo nenhum. Temos cerca de 260 acadêmicos hoje estudando. No primeiro mandato, nos dávamos 50% do transporte para os acadêmicos, pois não tínhamos ônibus próprio, mas agora, temos e fazemos 100% do transporte.
Toda semana, tem um pai, uma mãe ou um aluno que vem nos agradecer por essa oportunidade. Às vezes, o jovem tem dinheiro para pagar a faculdade e não tem para o transporte. Isso é um ganho, tanto para os acadêmicos quanto para o município.

A agricultura é muito importante para a economia de Teixeira Soares, o que vem sendo feito para este setor?

No município, a agricultura gira, mais ou menos, cerca de 60 a 70% da economia. O nosso município é muito produtivo, possui uma grande bacia leiteira, boas plantações de soja, milho, trigo, feijão, etc. Nós criamos agora um programa da porteira pra dentro, onde o secretário da Agricultura irá analisar e ver os locais que, realmente, estão precisando de melhorias. Neste programa, o produtor faz a inscrição e, com o contrato firmado, ele terá direito a 5 viagens de cascalho e 7 manilhas. Eu acredito que esse programa irá trazer muitos benefícios aos agricultores. Aproximadamente 98% da demanda do agricultor é estrada. Se ele tiver a estrada, ele consegue se virar, não vem nos pedir nada. Se tem estrada, tem educação e saúde. Nós tínhamos que ter um pouco de verba estadual ou federal para cascalho, para gente comprar um cascalho melhor e fornecer algo de melhor qualidade para eles.
Você acha que o fato das estradas estarem boas é por que você está acompanhamento pessoalmente?
Todo dia, pela manhã, eu visito o pátio de máquinas, a secretaria de saúde, educação, etc. Essa firmeza eu sempre tive desde o primeiro mandato. Não que o secretário não faça, mas eu gosto de estar informado, o secretário precisa me informar e, às vezes, a gente vai olhar e ver aquilo que está acontecendo. Eu tenho um conhecimento grande sobre as máquinas e estamos sempre vendo o que precisa arrumar e onde vamos arrumar. A administração funciona assim, o prefeito sempre precisa estar junto e bem informado. Os funcionários até ficam mais contentes por essa aproximação e nós temos que valorizá-los, porque também precisamos de funcionários competentes para uma boa administração. Um prefeito não faz nada sozinho.

Na Assistência Social, quais as ações prioritárias?

Nós temos duas equipes do CRAS. Eles recebem os recursos do governo federal para realizar os cursos profissionalizantes, por exemplo. Na Casa Lar, onde já tivemos 22 duas crianças abrigadas, devido ao nosso bom trabalho, não temos nenhuma criança do município na instituição.  Fizemos a reforma de casas de madeira para famílias carentes, dentre outras ações.

Além de reformas, o município teve construções de casas rurais e urbanas.

Na área da habitação, somente no interior, tivemos a entrega de 60 casas para os agricultores. Essa é uma área de bastante demanda, os moradores sempre estão pedindo a construção de novas casas populares. Na cidade também tivemos a entrega de um conjunto habitacional e há novos projetos sendo encaminhados..

Diversas obras foram realizadas  em Teixeira Soares, quais a principais e como foram conquistadas?
Até 2014, conseguimos recapar 100% do asfalto já existente. Por outro lado, construímos novos asfaltos em muitos lugares. São aproximadamente R$1,8 milhões em asfalto no bairro Cohapar e quando as obras terminarem, cerca de 80% do bairro será asfaltado. Temos projetos prontos para a construção de asfalto no bairro Blumenau. Tivemos um grande avanço também na rede de esgoto. Aproximadamente 80% dos bairros terão rede de esgoto no final desse mandato e depois de colocada a rede de esgoto, nós iremos providenciar o asfalto e outras melhorias.

O Fórum Eleitoral deve ser inaugurado em março, construímos uma escola em Guaraúna, uma Unidade de Saúde no Rio de Areia, a rodoviária, mais um mini ginásio na Vila Nova. Também conseguimos, através do Programa Luz Para Todos, aproximadamente, 490 pontos de luz colocados no interior.

Para conseguir os recursos, temos que correr atrás, procurar, ter as certidões do município em dia, senão não adianta, você não arruma nada. Se o prefeito tiver um bom relacionamento, ser humilde, saber pedir e ter toda a documentação e os projetos em dia, as coisas funcionam. Senão, não adianta ser amigo de governador ou presidente.

Na sua visão o que foi Teixeira soares antes, durante e depois do Ivanor?

Quando eu peguei o município, ele estava em uma situação difícil. Nós estamos trabalhando desde então e as melhorias estão acontecendo. No primeiro mandato, a população já viu que as coisas poderiam melhorar. No segundo, a gente deu seguimento, buscando novas oportunidades. Se eu saísse hoje da prefeitura, sairia de cabeça erguida, sabendo que fiz uma boa administração.

Qual e a expectativa para esses dois últimos anos de mandato?

Eu fiz uma reunião semana passada com os secretários e pedi cuidado, porque a gente sabe que esse ano será um ano muito difícil. Nós temos que ter habilidade para poder tocar essas obras, pois precisamos finalizá-las e entregá-las à população. A minha expectativa para os próximos dois anos é realizar aquilo que está começado e deixar 90% a 100% pronto. Meu objetivo é iniciar e concluir, não deixar parado para a próxima administração.

 Letícia Torres/Hoje Centro Sul
Foto: Ciro Ivatiuk/Hoje Centro Sul