Falta de água prejudica moradores da Vila das Flores, em Prudentópolis - Jornal Iratiin

Recente

Home Top Ad

Post Top Ad

sábado, 17 de janeiro de 2015

Falta de água prejudica moradores da Vila das Flores, em Prudentópolis

Na  Vila das Flores, em Prudentópolis, a constante falta de água tem ocasionado transtornos para os moradores. Para ter a quantidade mínima de água para atender as necessidades diárias, muitos têm de apelar para poços artesianos, localizados em bairros distantes de suas  residências.

Ciro Ivatiuk/Hoje Centro Sul
O pedreiro Teodoso Isaluski conta que em sua casa e nas demais propriedades situadas nos terrenos mais altos da Vila das Flores (acima da BR) a falta de água têm sido praticamente diária há vários meses.

"Hoje [dia 12] a água acabou 6h30, 7h00 da manhã", relata Teodoso. Ele afirma que "o abastecimento está anormal há cinco meses e que a situação está ficando insustentável".  Segundo o  morador, quando a água chega até as residências da Vila das Flores não tem pressão suficiente para encher as caixas d´água e logo o problema volta a afligir as pessoas.

"Eu vou buscar água no pátio da prefeitura, que tem poço artesiano, mas preciso atravessar a cidade para conseguir água", comenta Teodoso.

De acordo com a Companhia de Saneamento do Paraná, Sanepar, os problemas de abastecimento de água em Prudentópolis devem-se ao excesso de consumo, que fica bem superior nesta época do ano.
"Em tais circunstâncias, há dificuldade em manter as condições normais de atendimento, especialmente para as regiões mais altas da cidade, como na Vila das Flores. Para resolver essa situação, não apenas nesse bairro mas em toda a cidade, estão em fase final de execução as obras de ampliação do Sistema de Abastecimento de Água de Prudentópolis. A previsão de término é de aproximadamente 90 dias, em março deste ano", informou a Assessoria de Comunicação da Sanepar.
As obras compreendem,  de acordo com a Companhia de Saneamento, a ampliação da captação de água no Rio dos Patos e ampliação da capacidade de tratamento da Estação de Tratamento de Água de 55 litros por segundo para 90 litros por segundo.

Também a construção de duas estações elevatórias de água, que vão auxiliar principalmente o atendimento às regiões mais altas da cidade e cerca de 7 quilômetros de redes de distribuição.
O investimento total  nas obras será de cerca de R$ 4,7 milhões.


Da Redação/ Hoje Centro Sul