Falta de água em Gonçalves Júnior tem deixado moradores revoltados - Jornal Iratiin

Recente

Home Top Ad

Post Top Ad

domingo, 29 de junho de 2014

Falta de água em Gonçalves Júnior tem deixado moradores revoltados

Sanepar atribui o problema a ações de vandalismo e acredita que a situação será normalizada

A moradora do Distrito de Gonçalves Júnior, Rose Wagner, entrou em con- tato com o Jornal Hoje Centro Sul porque a sua família e a comunidade  estão vivenciando uma situação incômoda: a falta de água,  o que tem revoltado os moradores. De acordo com Rose, a revolta é porque ninguém dá satisfação e muito menos uma explicação do que está ocorrendo. “Água é tudo, precisamos disso para viver. Queremos uma solução para o nosso problema. Tenho vários números de protocolo guardados de ligações que fiz para a Sanepar, e que não obtive nenhum retorno, sempre dão desculpas e não resolvem nada”, afirma.


@Thaís Siqueira
No ano passado, Rose organizou um abaixo-assinado, que teve 102 assinaturas, pedindo para a Sanepar não retirar os dois poços artesianos da comunidade. Entretanto, a moradora conta que a iniciativa não apresentou resultados, pois os poços foram desligados. “Nem poço de água nós temos agora.

Já liguei na Sanepar e na prefeitura e ninguém sabe dizer o que está acontecendo. Então, não sabemos mais quem procurar para resolver esse problema. Estou cansada e quero ajuda”, desabafa Rose. Outra residente do Distrito de Gonçalves Júnior, Alice Wesselovicz relata que mesmo a escassez de água, não impediu a Sanepar de enviar boletos de pagamentos. “Precisamos pagar por uma coisa que não temos e que nem usamos, é um absurdo. Queremos explicação e que arrumem logo essa barbárie”, diz Alice. De acordo com informações de Edson Moro Rios, gestor operacional da Sanepar, os poços artesianos apresentavam pouca vazão de água e alguns problemas técnicos.  Então, esses foram uns dos motivos que levaram ao desligamento.

Além de tudo, Edson revela que Irati e região enfrentam problemas com fatos de vandalismo, que é o resultado da pertinência de falta de água, mas acredita que essa situação será normalizada e  espera que os responsáveis por isso sejam punidos. “Já tivemos vários momentos consecutivos e que continuam acontecendo de que vândalos furtam válvulas, gerando o rompimento da rede, deixando muitas famílias sem água”,finaliza.

Por Thaís Siqueira/Hoje Centro Sul