Beto Richa recebe Sindicato dos professores para tratar da greve - Jornal Iratiin

Recente

Home Top Ad

Post Top Ad

quinta-feira, 24 de abril de 2014

Beto Richa recebe Sindicato dos professores para tratar da greve

Foto: APP sindicato
Segundo o sindicato, a adesão foi de 75% do professores. Já o governo, estima que 22% dos professores aderiram a greve.


No final da tarde de quarta-feira (23), diante da grande mobilização dos(as) educadores(as) em todo o Estado, o governador Beto Richa realizou uma audiência com integrantes da direção da APP-Sindicato. 

Os dirigentes da APP foram recepcionados pelo governador, pelo vice Flávio Arns, e pelos secretários da Educação, Fazenda, Administração e Previdência e Governo.
Foram mais de duas horas de debates sobre os principais itens reivindicados pela categoria. O governo se comprometeu em estudar as propostas apresentadas.

Segundo o sindicato, a adesão foi de 75% do professores.
Segundo o Governo, um levantamento feito pelos 32 Núcleos Regionais de Educação do Paraná mostra que apenas 22,34% das 2.100 escolas estaduais paralisaram totalmente as atividades na quarta-feira (23). Cerca de 24% dos colégios funcionaram normalmente no período da manhã, enquanto 53,5% das unidades da rede estadual tiveram atendimento parcial.

A Secretaria de Estado da Educação explica que as escolas estaduais devem ficar abertas para receber os alunos. Os professores que não aderirem à paralisação organizada pelo sindicato da categoria precisam ter condições de trabalhar de forma normal, com presença de qualquer número de alunos, para que possa ser considerada carga horária ofertada ao aluno e cumprida pelo professor.
A secretaria orienta os pais a procurar os diretores das escolas para saber como está a organização da unidade em função da greve. Caso não haja aula, os responsáveis pelos alunos devem ser informados quando será realizada a reposição dos horários perdidos, um direito dos alunos.
Já a direção da APP avalia como vitoriosa a mobilização do primeiro dia e reafirma a necessidade de fortalecer ainda mais a adesão à greve, o acampamento em frente ao Palácio Iguaçu, os atos regionais e todas as atividades previstas na mobilização. 
Os comandos de greve, devem visitar as escolas que ainda não aderiram ao movimento. Segundo o sindicato, o objetivo é superar os 90% de adesão.

Em Irati, carreata marca o segundo dia da greve dos professores estaduais

Em Irati, neste dia 24, por volta das 11h, os professores da rede estadual de ensino  realizaram uma carreata pelas ruas da cidade como forma de mobilização. Em greve desde quarta-feira (23), os professores fazem diversas reivindicações ao Governo do Estado. As principais são: Piso Nacional do Magistério, reajuste para os funcionários das escolas, pagamento de avanços em atraso, concurso público, carga de 40 horas, alteração dos contratos PSS, enquadramento dos professores aposentados,  hora-aula e hora-atividade para os professores da educação especial, infraestrutura adequada nas escolas e 33% de hora-atividade para os professores.
A pauta tem um total de 50 reivindicações, que são de ciência do Governo do Estado. Os professores reconhecem que a greve não é a melhor alternativa. “Sabemos que a greve não é bonita, mas ela se faz necessária a partir do momento que nossas reivindicações não foram atendidas”,  enfatiza a presidente do núcleo sindical da APP - Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Paraná em Irati, Tatiane Nanci da Maia.


Carreata em  Irati, quinta feira (24)








Mobilização em  Irati, quarta feira (23)



Mobilização em  Rio Azul, quarta feira (23)



Texto: Da Redação / Hoje Centro Sul com informações da APP- Sindicato e da Agencia de Notícias do Governo do Paraná

Fotos: Divulgação/APP sindicato, Leticia Santos/Hoje Cento Sul, Kyene Beker / Hoje Centro Sul, Ciro Ivatiuk / Hoje Centro Sul