Consumo de peixe cresce na quaresma - Jornal Iratiin

Recente

Home Top Ad

Post Top Ad

sábado, 8 de março de 2014

Consumo de peixe cresce na quaresma

Com o início da Quaresma muitas pessoas atentas à preservação do jejum deixam de comer  carne vermelha e procuram adicionar à mesa pratos feitos com peixe.

Kaio Ribeiro

A preferência por peixes nessa época ocasiona uma mudança nas ilhas (balcão onde se encontram os produtos congelados) dos supermercados, que acabam por apresentar diversos produtos derivados de peixes.

Paulo Ivasko, dono de uma rede de mercados em Irati, afirma que o paladar iratiense prefere os peixes de água doce, sendo a tilápia um dos produtos que mais vendem na época. “Tilápia vende bem mais, porque como a nossa população está acostumada com peixes de água doce, tilápia é um peixe que cai bem no paladar, e a venda chega a aumentar quatro vezes no período da quaresma,” afirma.

O empresário ainda conta que os filés são bastante procurados, como o filé de pescado, merluza e linguado.
Além disso, bolinhos de peixe, lasanha, pizza e stake de peixes são muito consumidos, bem como lula, camarão e mexilhões. Produtos que tem um significativo aumento de vendas na época.

Segundo Paulo Ivasko, o preço do peixe e de produtos derivados geralmente aumenta com a quaresma, contudo explica que esse ano a empresa fez boas negociações, e que não haverá alterações no valor.
O famoso bacalhau, ingrediente principal de ensopados, é pouco procurado em Irati e região.

Theodoro Ikavys, responsável pelo setor de carnes e congelados de outro supermercado em Irati, afirma que a venda de todos os peixes aumenta nesse período. “O preço está bom, baixou um pouquinho,” comenta.

O casal Darci da Cruz e Helena da Cruz mantém a tradição familiar de consumir peixe na primeira e na última quarta e sexta-feira do mês, na quaresma. “A tradição era de a gente não comer carne vermelha em nenhuma quarta-feira e nenhuma sexta-feira do mês, agora a gente já cortou um pouco,” explica.
Darci da Cruz também explica que a preferência é pelo peixe de água doce, e que o preço, em geral, não é tão acessível. “Não dá para assalariado comer uma carne dessas,” diz. E, se no mercado ele considera que o preço é alto, Darci assegura que sem peixe não fica, devido ao bom pescador que é seu filho.

Escolha do Peixe
A conservação do peixe deve ser avaliada pelo consumidor, por ser um alimento de rápido perecimento.
Quando congelado, o peixe é mais seguro. Porém, se for comprado fresco, deve-se ter cuidado.
Paulo Ivasko comenta que em Irati não existem peixes frescos nos supermercados pois nenhum têm a estrutura necessária para abrigar o produto. Além disso, é necessária uma licença da Vigilância Sanitária para a venda. Paulo ainda comenta que a validade do peixe fresco  é de, no máximo, dois dias.