Denise Stoklos quer festival internacional de teatro em Irati - Jornal Iratiin

Recente

Home Top Ad

Post Top Ad

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Denise Stoklos quer festival internacional de teatro em Irati

A artista já apresentou a ideia ao secretário estadual da Cultura




[caption id="attachment_24638" align="aligncenter" width="420" caption="Denise apresentou projetos a pessoas ligadas à cultura de Irati"][/caption]

Irati - A atriz iratiense, Denise Stoklos, reuniu na última sexta-feira (08) representantes da Unicentro, Conselho Municipal de Cultura e da Associação de Letras, Artes e Ciência do Centro-Sul (ALACS) para apresentar ideias para este e próximos anos para a arte teatral iratiense. O destaque da reunião foi a apresentação da Bienal Internacional de Solos (BIS), área que é a especialidade de Denise. Além disso, o diretor do Campus da Unicentro, Edélcio Stroparo, comentou sobre o futuro das obras do Centro Cultural que leva o nome da atriz.
Denise iniciou o encontro dizendo que se encontrou com o secretário estadual da Cultura, Paulino Viapiana, para apresentar projetos pessoais e também de interesse do público iratiense. Entre eles, um espetáculo que marcaria os 45 anos de sua carreira de atriz, que inclusive deve ser a abertura do Festival de Teatro Denise Stoklos de 2013; a Bienal Internacional de Solos; e um DVD que inclui diversas apresentações suas, além de entrevistas. "Ele [Viapiana] adorou a ideia. Eu terei que remontar e reapresentar as peças e ele sugeriu que a produção seja feita pelo Museu da Imagem e do Som", comentou a artista sobre o DVD.




[caption id="attachment_24639" align="alignleft" width="420" caption="A artista se encontrou com Zeca Araújo no espaço "Primo Araújo" no Clube do Comércio"][/caption]

Em relação à possibilidade de lecionar, ela afirmou que diversas pessoas a perguntam os motivos pelos quais ela não leciona aulas de teatro visto sua enorme bagagem e excelência no teatro. "Não quero fazer reserva de mercado, a ideia é sempre multiplicar o conhecimento", garante a atriz. No entanto, ela afirma que quer compartilhar esse conhecimento com os iratienses e não com institutos e escolas internacionais. Ela diz isso, pois já deu aula no Hemispheric Institute of Performance & Politics, situado na Universidade de Nova York e se surpreendeu negativamente com a instituição. "Eu fui descobrindo que a principal função deles é pegar vídeos de grupos de diversos países da América Latina e colocar no site sem pagar ninguém e isso acaba se tornando uma propriedade deles. Mais um roubo dos Estados Unidos em cima da América Latina", explica Denise. Por isso, a atriz é enfática ao afirmar: "Não quero compartilhar com eles, quero compartilhar com a gente".
Em seguida, ela comentou sobre a montagem de sua próxima peça teatral: "Carta ao pai - ou vamos trocar ferômonios". Carta ao pai é um texto clássico de um dos expoentes da ficção científica, Franz Kafka. Denise irá misturar este roteiro com a questão da evolução do ser. "É algo que eu vejo muito os neurologistas falando que quando nós ainda somos feto, o nosso cérebro ainda é uma espécie de tronco de árvores com ramificações que serão desenvolvidas em questões sensoriais como o paladar, tato, etc", explica. A atriz comenta que em seguida esses ramos vão aumentando, pois o ser humano faz conexões e seus gostos os levam a conhecer novos sentimentos, sabores e sensações que estão ligadas a parte neurológica. Com a chegada do que Denise chama de "demência", esses ramos começam a secar e voltam a ficar igual ao do feto.
A peça vai falar que os novos meios de comunicação virtual não desenvolvem tanto essas conexões, pois não há olhar, postura, trejeitos faciais. "Essa troca de cheiros, sentimentos, são os feromônios. Por isso o subtítulo da obra", explica Denise. A peça será apresentada apenas para grupos pequenos, entre 30 e 40 pessoas, pois ela quer explorar a proximidade com o público e a interação com o cerne da peça que é justamente esta "troca de feromônios". "Eu quero acentuar a questão de que teatro é relacionamento de gente viva com gente viva", afirma.
Denise explicou aos presentes que o secretário Paulino Viapiana ficou muito interessado com a ideia e sugeriu que o lugar ideal para se realizar a peça seria no Teatro Novelas Curitibanas, por conta de seu espaço reduzido, algo que proporcionaria este esperado contato com os espectadores. O chefe da divisão de cultura da Unicentro, Edson Santos Silva, propôs que esta fosse a abertura do Festival de Teatro Denise Stoklos e que a primeira apresentação fosse, de fato, no Novelas Curitibanas, mas voltada ao público iratiense. A ideia animou a atriz que afirmou estar 100% envolvida com o festival. "Essa arte (teatro essencial, desenvolvido por Denise) é a arte iratiense. Eu tenho muito orgulho de minhas origens e quero que as pessoas saibam disso. O festival é uma forma de fazer isso", comentou.
Em relação à Bienal Internacional de Solos (BIS), Denise apontou que as pessoas ligadas ao teatro a identificam pelo teatro solo e é nesta categoria que ela tem influência e poderia trazer artistas renomados mundialmente para se apresentarem em Irati, inclusive Victoria e James Chaplin, filha e neto de Charles Chaplin. "Essa é uma área em que eu sei que a gente pode trabalhar e usar para o benefício cultural de Irati", aponta a atriz que foi apontada por diversas vezes como uma das mais importantes do mundo no teatro solo. Denise também afirma que a ideia é que esses grandes atores se apresentem e deem oficinas para os iratienses.
Segundo ela, Viapiana gostou e incentivou a ideia por ser algo que é diferente do que é feito em outras cidades do Estado. "Festival de teatro já tem em Curitiba, Ponta Grossa, Londrina, entre outras cidades. O Festival de Solos não seria mais um, mas seria um diferencial para o município. Irati pode se tornar um polo mundial do teatro solo", garante Denise.


Centro Cultural
O diretor do Campus da Unicentro em Irati, Edélcio Stroparo comentou que a universidade tem cerca de R$ 6 milhões para a finalização das obras no Centro Cultural Denise Stoklos, mas ainda esbarra em problemas com o engenheiro Marcos Malucelli para que elas sejam concluídas. Ele inclusive afirmou que pedirá ajuda para o ex-prefeito de Irati e irmão de Denise, Sérgio Stoklos, que é amigo pessoal de Malucelli para que o Centro Cultural possa ser finalizado o quanto antes.
Denise Stoklos afirma que o BIS é uma ideia que deve ser concretizada no próximo ano, mas que será necessário que o Centro Cultural esteja pronto, visto a amplitude do festival.


 

Texto e Fotos: Guilherme Capello, da Redação


Publicado na edição 658, 13 de janeiro de 2013.