Prefeitura foi ao interior discutir obras rurais com comunidades - Jornal Iratiin

Recente

Home Top Ad

Post Top Ad

terça-feira, 30 de maio de 2017

Prefeitura foi ao interior discutir obras rurais com comunidades



O prefeito Jorge Derbli, secretários municipais, representantes da SEAB e vereadores passaram a tarde do último dia 30, reunidos com produtores rurais, para apresentar e discutir obras em estradas do interior do município.

Nas reuniões o prefeito apresentou os secretários presentes e colocou a administração municipal à disposição da comunidade para perguntas, reivindicações e esclarecimento de dúvidas sobre os serviços que serão executados e outros assuntos relacionados. Nas duas localidades visitadas, recebeu agradecimentos dos produtores pelas melhorias efetuadas nestes cinco meses de gestão, e destacou que com os novos equipamentos e maquinários que virão, pretende intensificar os serviços no interior.

Governador Ribas
A primeira reunião aconteceu na localidade de Governador Ribas, onde o prefeito e sua equipe apresentaram a solução para o convênio 616/2013, firmado com a Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento, que prevê um projeto de pavimentação com pedras irregulares, numa extensão de 4,4 km, ligando o acesso à PR-364 até um frigorífico na região, que gera aproximadamente 200 empregos.

Esse convênio passou por 11 processos licitatórios sem obter êxito e somente agora, em 2017, houve sucesso no trâmite, em razão de que a atual administração reprogramou as planilhas com valores atualizados em entrou com contrapartida em dinheiro para a obra. Houve ainda necessidade de reduzir um pequeno trecho da pavimentação.

Ao todo serão R$ 1.220.126,85 repassados através da SEAB, e R$ 354.373,15 com recursos municipais. Derbli comentou que “com a contrapartida financeira da Prefeitura o projeto ficou mais atrativo, e duas empresas participaram da nova licitação”.

Houve também atuação do prefeito junto aos órgãos estaduais para solicitar prorrogação da vigência do convênio, de modo que através do esforço conjunto de todas as esferas, não será necessário devolver o recurso financeiro.

A estrada será pavimentada com pedras irregulares, com seis metros de largura, e meio-fio em ambos os lados da via. A obra iniciará no máximo em julho e terá prazo de doze meses para conclusão. Vai beneficiar diretamente 20 famílias, e indiretamente, mais de 100.

Pirapó
Em seguida, o grupo de técnicos e autoridades deslocou-se a Pirapó para apresentação de outro projeto de adequação de estradas rurais para Irati, que será desenvolvido através da patrulha rural do Governo do Estado.

R$ 22 milhões em equipamentos rodoviários foram adquiridos pelo Estado do Paraná, que os distribuiu por regiões. No caso da Amcespar, virá uma patrulha composta por 10 equipamentos novos, como caminhões, motoniveladoras, escavadeira, rolo compactador, pá carregadeira e outros. Irati, será o primeiro município a ser atendido pela patrulha que vai ficar à disposição do município por 60 dias.

Foram indicados três trechos na região do Pirapó, que serão atendidos nestes dois meses pela patrulha. O trecho 1, com extensão de 12 km, vai de Rio Preto a Pirapó, até chegar em Guamirim. O trecho 2, vai de Pirapó até chegar ao encontro da estrada de Governador e Boa Vista do Pirapó, numa extensão de 12,7 km. E o trecho 3, com 6,1 km, vai de Boa Vista do Pirapó, até Campina de Gonçalves Junior e Volta Grande

Derbli explicou que “a estrada terá que ser alargada, pois o tráfego de veículos e maquinário é grande na região, que apresenta muita produção de grãos, fumo e leite”. O projeto estabelece oito metros de largura de pista, e mais um metro de cada lado para escoamento.

Em razão disso, foi solicitada a compreensão dos produtores da região, pois algumas cercas terão que ser removidas, e proprietários terão que permitir a execução dos sistemas de drenagem, para garantir a boa execução da estrada e durabilidade.

A patrulha vai funcionar em sistema de rodízio e o investimento municipal dentro da partilha será de R$ 150 mil aproximadamente, para pagamento de combustível, rateio do pessoal, e alimentação, entre outros custos. A previsão é de o trabalho comece a ser efetuado em julho próximo.

Texto e Foto: Assessoria
Siga-nos no Instagram