Política em questão - Jornal Iratiin

Recente

Home Top Ad

Post Top Ad

terça-feira, 12 de maio de 2015

Política em questão

Plano Diretor de Mobilidade Urbana de Irati

O Plano Diretor de Transporte e Mobilidade Urbana de Irati, que pretende planejar o sistema viário de Irati, foi apresentado para diversas instituições na última terça-feira, dia 05. A elaboração do estudo e diagnóstico dos aspectos institucionais, organizacionais e financeiros que envolvem o setor foi realizada pela empresa Logitrans, contratada pela Prefeitura Municipal de Irati. As entidades convidadas a participar da apresentação - Guarda Municipal, Corpo de Bombeiros, Aciai, Polícia Militar, Comissão de Trânsito, Conselho de Urbanismo, Copel, Sanepar,  Associação regional dos Engenheiros Civis e Associação dos Arquitetos de Irati - terão uma semana para apresentar sugestões ao Plano.



Dia do direito à liberdade de expressão

O deputado estadual Marcio Pauliki (PDT) protocolou na Assembleia Legislativa do Paraná um projeto de lei para que o dia 29 de abril se torne ‘Dia do direito à liberdade de expressão’. A data será destinada à mobilização social no Paraná para a discussão e defesa da liberdade de expressão em qualquer âmbito. “Todas as tragédias que aconteceram na história da humanidade serviram para o nosso crescimento. O que aconteceu no dia 29 de abril, na sede no Poder Legislativo, foi inegavelmente uma tragédia e precisa nos levar à reflexão”, acredita Pauliki.

Uso racional da água

A Câmara Municipal de Irati aprovou, durante a Sessão Ordinária do dia 04, a criação da “Semana Municipal de Incentivo ao Uso Racional e Sustentável da Água” a ser realizada no mês de março, quando já se comemora o Dia Mundial da Água. A proposição foi feita pelo vereador Rafael Felipe Lucas e aprovada por unanimidade. “Precisamos conscientizar cada vez mais a população de que a água é um recurso limitado e não pode ser desperdiçada”, afirma o autor da proposta.

Projeto quer eximir desempregados de corte de eletricidade

Os trabalhadores que estavam com a carteira assinada e que ficarem desempregados, poderão ter o direito garantido por lei de não ter cortes na energia elétrica em caso de inadimplência durante este período. O projeto de lei foi apresentado na Assembleia Legislativa do Paraná (ALEP) pelo deputado Hussein Bakri (PSC) na última terça-feira (05), e prevê que o fornecimento da energia elétrica só poderá ser suspenso pela COPEL após seis meses de atraso nos pagamentos. O projeto está em tramitação nas comissões da ALEP e depois, deverá ser colocado em votação.

Por Letícia Torres/Hoje Centro Sul