Política em questão - Jornal Iratiin

Recente

Home Top Ad

Post Top Ad

domingo, 22 de fevereiro de 2015

Política em questão


Flagrante

Para investigar denúncias de crimes, um dos métodos utilizados pelo  Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) é a escuta telefônica autorizada pela Justiça. A partir do que as pessoas falam ao telefone é possível, inclusive, fl agrar um ato criminal. Talvez (não podemos afirmar por se tratar de investigação sigilosa, com métodos não divulgados), a escuta telefônica possa ter colaborado para a prisão em flagrante do prefeito de Prudentópolis, Gilvan Agibert, no último dia 12.

Mera coincidência?

Certo prefeito, de um município localizado há 15 quilômetros de distância de Irati, graduado em Direito, troca de número de telefone como troca de roupa. Saberia ele da importância da escuta telefônica para as investigações criminais? Ou é mera coincidência a excessiva mudança de número?


Politicagem

Neste ano, pessoas que se opõem à administração do prefeito municipal de Irati, Odilon Burgath (PT), tentaram transformar a festividade de Carnaval em palanque político. Eles usaram o fato de ter chovido na primeira noite do evento (14) e pouca gente ter participado da folia para dizer que havia um boicote popular contra a realização do Carnaval de Rua. No domingo (15), quando não choveu,  a rua fi cou lotada e quem propagou o dito "boicote", fi cou desmoralizado. Muito feio a politicagem.

Politicagem II

Independente de gostar ou não de uma administração, de concordar ou discordar das decisões que esta toma, vale lembrar que o político eleito representa uma maioria que o escolheu democrática e legitimamente. A politicagem não auxilia na vida pública. Críticas bem embasadas e boas sugestões ajudam uma administração a fazer o melhor pelo coletivo.


Câmara de Irati autoriza obras

Na Câmara Municipal de Irati, a primeira Sessão Extraordinária de 2015 ocorreu na sexta-feira (13). Foi analisado e aprovado o Projeto de Lei nº 005/2015, que autoriza crédito adicional especial na importância de até R$ 33.977.600,00. Diferentes iniciativas são contempladas no projeto, como a construção de uma escola nova em Gonçalves Júnior, a aquisição de calcário, a retomada das obras do Centro da Juventude e a execução de recape asfáltico em um trecho da estrada Irati - Gonçalves Júnior.

Críticas e respostas

Alguns vereadores criticaram o fato de um mesmo documento, o Projeto de Lei nº 005/2015, contemplar tantas definições e ser votado em regime de urgência, em Sessão Extraordinária. Dentre os que criticaram, Emiliano Gomes (PSD) - que foi o único a votar contra o projeto.  O líder do prefeito,  Alceu Hreciuk (PT), justificou que a necessidade de votar o projeto em Sessão Extraordinária foi porque não houve Sessão Ordinária no dia 16, devido ao recesso de Carnaval. Outros vereadores, como Helio de Mello, ressaltaram ainda que as iniciativas contidas no projeto já foram discutidas antes, quando, individualmente, cada obra ou ação foi autorizada pela Câmara Municipal. 

Reforma política

Os deputados estaduais e federais paranaenses não acreditam muito na importância dos partidos dentro do sistema político brasileiro. Pesquisa realizada pela Gazeta do Povo, em parceria com o Observatório das Elites Políticas e Sociais do Brasil, revela que 84,5% dos parlamentares eleitos em 2014 consideram que seus esforços pessoais foram mais importantes do que o partido pelo qual se candidataram. E numa situação em que discordas- sem da posição da sigla, nada menos do que 78% decidiriam votar de acordo com suas convicções pessoais, ignorando a orientação da legenda. A pesquisa mostra que uma possível reforma política que dependesse dos deputados paranaenses provavelmente teria uma redução no número de partidos e faria uma opção pelo voto distrital misto. (Fonte: Jornal Gazeta do Povo)

Por Letícia Torres