Manifestantes liberam cancelas da praça de pedágio em Guarapuava - Jornal Iratiin

Recente

Home Top Ad

Post Top Ad

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

Manifestantes liberam cancelas da praça de pedágio em Guarapuava

Desde as 9 h da manhã desta quinta-feira, 12, cerca de 150 pessoas liberaram o tráfego dos veículos sem o pagamento da tarifa
Imagens das câmeras de segurança da Caminhos do Paraná 
mostram manifestantes na praça de pedágio.
As cancelas da praça de pedágio do relógio, na serra da Esperança, em Guarapuava, foram liberadas para o tráfego de veículos sem o pagamento da tarifa. A atitude foi tomada por aproximadamente 150 manifestantes, que alegaram ser professores e que estariam descontentes com o pacote de medidas de austeridade fiscal proposto pelo governo estadual para aumentar a receita.







O assessor de imprensa da Caminhos da Paraná, Jefferson Ditrich, falou sobre a invasão durante a manhã de hoje, 12, no programa Sintonia Máxima, da Rádio Najuá FM. “ Desde aproximadamente 9 h em torno de 150 pessoas se dirigiram até as pistas da praça de pedágio e liberaram as cancelas. Iniciaram a distribuição de folhetos e estão impedindo a concessionária de realizar a cobrança das tarifas e os funcionários tiveram que deixar os postos de trabalho. Informações colhidas no local por funcionários da praça do pedágio, eles [manifestantes] alegaram ser professores e que se trata de uma manifestação e protesto ao governo estadual”.

Conforme Jefferson, a concessionária que administra a rodovia verificou por meio de imagens das câmeras de segurança que integrantes do MST também estariam participando da manifestação. “Pelas câmeras da Caminhos do Paraná pudemos observar aparentemente duas bandeiras do MST e algumas pessoas com roupas que parecem ser do MST, mas a grande maioria aparentemente são de professores. Talvez o MST foi convidado ou soube e está querendo se juntar ao grupo”, comenta o assessor de imprensa.

Caminhos do Paraná irá solicitar reintegração de posse do local

Segundo Jefferson, a Caminhos do Paraná já está tomando as medidas cabíveis e irá solicitar a reintegração de posse da praça de pedágio, através de interdito proibitório. “Não sabemos quanto isso pode demorar, mas é uma medida que a empresa precisa até para resguardar futuramente eventuais prejuízos e poder comprovar até mesmo junto aos acionistas, governo e ao DER, que houve essa perda de receita decorrente desse movimento”, informou.

Até agora, as informações recebidas pela concessionária são de que o movimento é pacífico e que o tráfego está liberado no local. Mesmo assim, a orientação é para que os condutores dirijam com cuidado e diminuam a velocidade, pois o trânsito é lento no local. “Do ponto de vista da empresa, a violência se dá no sentido que eles não permitem o desempenho da atividade de cobrança”, diz Jefferson.

De acordo com ele, a orientação para os colaboradores é de que deixem as praças de pedágio e não enfrentem os manifestantes. “Nossa política em primeiro lugar é proteger o colaborador e o funcionário da empresa. Nós não adotamos a medida de aumento de segurança. Até porque poderia haver algum tipo de embate e isso colocaria em risco a segurança de cada colaborador. Então, a orientação é para que os colaboradores das cabines deixem os postos, não oponham objeção, porque não é papel deles”, analisa.

Outras praças

Além de Guarapuava, manifestantes também liberaram as cancelas nas praças de pedágio de Laranjeiras do Sul e de Céu Azul, que são de responsabilidade da concessionária Ecocataratas.

Imagens das câmeras de segurança da Caminhos do Paraná mostram manifestantes na praça de pedágio.
Da Redação/Najuá, com reportagem de Rodrigo Zub e Nilton Luy


Leia mais sobre esta notícia no site da Najuá