Inadimplência diminui na região Centro Sul do Paraná - Jornal Iratiin

Recente

Home Top Ad

Post Top Ad

sábado, 14 de fevereiro de 2015

Inadimplência diminui na região Centro Sul do Paraná

Enquanto houve  queda no número de endividados na região, a inadimplência cresceu 3,5% no Paraná

A inadimplência no Paraná cresceu 3,5% no início de 2015. No Brasil, o aumento da inadimplência tem números são similares.  Ao contrário do observado na maioria do país, o município de Irati, na região Centro Sul do Paraná, registrou queda de 0,72% no número de pessoas inadimplentes.

Ciro Ivatiuk/Hoje Centro Sul
Para o presidente da Associação Comercial de Irati (Aciai), Marcielo Isidoro Mazzochin, a diminuição se deve, principalmente, a uma maior cautela por parte dos lojistas. “O lojista está cada vez mais cauteloso ao conceder o crédito e mais exigente nas informações passadas pelo cliente. Em Irati, houve um aumento de 5,64% nas consultas ao SPC, comparando 2014 com 2013”, completa.
Marcielo ainda destaca que manter o nome limpo é essencial para um bom desenvolvimento econômico, tanto pessoal quanto comercial. “Levando em consideração a realidade que vivemos hoje, onde, para se adquirir produtos, serviços, imóveis ou firmar qualquer transação financeira precisamos ter uma boa conduta como consumidores e ótimas referências pessoais.

A Aciai aconselha aos consumidores que possuem problemas de crédito, que procurem as partes interessadas pelo acerto ou negociação dos mesmos, chegando num comum acordo, para que possam novamente voltar a consumir com tranquilidade e contribuir com o aquecimento e crescimento econômico de nosso município”, ressalta.

Consulta ao SPC e Serasa


A Associação Comercial e Empresarial de Irati (Aciai) também oferece o serviço de consulta ao SPC e Serasa aos moradores e comerciantes de Irati e região. A consulta ao SPC é gratuita. Já ao Serasa, o cliente deve pagar uma taxa de R$10. 
O presidente da Aciai, Marcielo Isidoro Mazzochin, ressalta que o serviço funciona 24h e está se tornando uma ferramenta essencial para a diminuição de novos endividados. “A entidade possui os serviços de consulta e inclusão ao SPC e Serasa, ficando 100% online e 24h à disposição do associado. Esse serviço é muito procurado e está se tornando cada vez mais útil e indispensável para o comércio em geral”, explica.

Negociação de dívidas com o banco

A melhor saída para evitar uma dívida junto a uma instituição bancária, por exemplo,  é conversar com a gerência da agência. Agentes bancários* de Irati explicam que na primeira semana de atraso, o banco já entra em contato com o cliente para saber o motivo do não-pagamento. “Quando o atraso acontece, a instituição entra em contato com o cliente. Não no intuito de cobrar, mas para saber o que motivou o atraso. Em algumas vezes, é apenas esquecimento. Em outras, procuramos conversar e, caso a pessoa esteja com dificuldades financeiras, tentamos renegociar o valor. A intenção é sempre receber e tentar negociar com o cliente antes de colocar o nome no Serasa”, destaca um agente bancário de instituição privada em Irati.

Ele ainda orienta que caso o cliente esteja passando por problemas financeiros, tente avisar o banco antes da conta atrasar. “O bom é sempre tentar resolver antes. As pessoas podem se antecipar e renegociar a parcela sem o acréscimo de juros. Isso é possível, porém, muitas pessoas não sabem. Nesse momento, não se pode ter vergonha de procurar a agência bancária e explicar o que está acontecendo”, afirma.

Segundo os agentes bancários, há várias possibilidades para tentar evitar que o nome caia em algum serviço de proteção ao crédito. Dentre elas, existe até a portabilidade de crédito, porém, ela precisa seguir algumas exigências para ser concedida. “Essa modalidade é concedida em casos como, por exemplo, financiamento de veículos, imóveis e crédito consignado, onde o cliente não consiga mais assumir as parcelas ou quando fechou o acordo com o banco e encontrou outra proposta de juro melhor. Porém, ela não é facilmente concedida. Primeiro, o banco para o qual você quer transferir o financiamento deve aceitar o cliente. Em muitas vezes, as propostas não são vantajosas ou interessantes para o novo banco, até porque, o novo banco precisa pagar uma tarifa para o banco anterior, para pode assumir o financiamento. Depois, os juros, impreterivelmente, têm de ser menores do que o do banco anterior e o financiamento precisa estar em dia. Caso contrário, a portabilidade não é concedida”, finaliza.

Kyene Becker/Hoje Centro Sul