A habitação será destaque em Rio Azul em 2015, segundo prefeito Paulo Girardi - Jornal Iratiin

Recente

Home Top Ad

Post Top Ad

sábado, 10 de janeiro de 2015

A habitação será destaque em Rio Azul em 2015, segundo prefeito Paulo Girardi

Iniciativas para melhorar a qualidade de vida da população, sobretudo nos setores de saúde e de educação, são as principais metas da administração do prefeito  de Rio Azul, Silvio Paulo Girardi. Ele acredita que investir  em oportunidades de formação das pessoas é fundamental, sobretudo, para que os rioazulenses tenham qualificação para ocupar as vagas disponíveis no município.


Outro aspecto que Girardi enfatiza é que sua gestão tem buscado reorganizar o funcionamento das compras públicas, através de licitações transparentes. Com isto, o prefeito de Rio Azul acredita que os recursos municipais podem ser melhor utilizados em benefício dos rioazulenses.

Em entrevista ao Hoje Centro Sul, o prefeito comenta conquistas que marcaram 2014 nos diversos setores e contou as expectativas para esse ano que se inicia. Segundo Girardi, 2015 será o ano da habitação em Rio Azul, pois serão criados vários núcleos habitacionais que, juntos, terão quase 200 casas para diversos poderes aquisitivos.

Em 2014 ocorreram Copa do Mundo, eleições e enchentes. Estes fatos dificultaram o andamento de projetos? Como você avalia sua administração em virtude disso?

Esse foi um ano político e ele retardou certas ações, que já poderiam estar prontas, mas ainda estão sendo finalizadas. O que atrapalhou bastante foram as chuvas, que trouxeram um prejuízo muito grande e que ainda não conseguimos colocar tudo em dia.
Em 2014, foram construídos 273 bueiros, mais de 630 metros de manilhamento e mais de 67 pontes. Se compararmos com 2013, o número aumentou, mas ainda temos muito que fazer. Demos bastante atenção à área rural, pois 50% da nossa população trabalha na agricultura e precisa de condições para ter acesso às localidades.


Como você percebe Rio Azul antes do início da sua administração e agora?

O município de Rio Azul era desorganizado, onde se viam licitações com indícios de fraudes, processos licitatórios mal elaborados e sem assinatura de ninguém, exceto da comissão de licitação. Era uma desorganização muito grande em toda a administração. Durante a administração Paulo Girardi está ocorrendo a organização.

Antes, não existia uma atenção especial para a educação, tendo alguns anos em que o mínimo de 25%, previsto em lei, não foi aplicado. Desde 2013, temos superado esse número. A grande conquista na área da educação foi a vinda de recursos para a construção de três novas escolas. Essas novas escolas irão fornecer melhores condições para professores e alunos.

Rio Azul tinha duas viaturas da polícia em situação precária. Hoje, Rio Azul adquiriu uma viatura nova. Também vale destacar que o município tinha duas ambulâncias velhas, que já não funcionavam com efetividade, recebendo, inclusive, denúncias na Câmara de Vereadores a respeito da situação. Em 2014, ganhamos uma nova ambulância e compramos outra.

Quais as principais metas da sua gestão e como elas vêm sendo cumpridas?

As prioridades do nosso governo são educação e saúde. A nossa primeira ação, antes de assumirmos, foi a criação do magistério. O nosso objetivo é a melhor formação dos nossos professores, pois ao fazer isso, automaticamente também estamos melhorando a formação dos alunos do 1º ao 5º ano, que é a base. Nós também fornecemos transporte universitário gratuito, que antes não existia. Fizemos tudo isso, porque eu via que muitas vagas ocupadas em Rio Azul são de pessoas de fora. Muitos moradores estavam deixando a cidade porque não tinham oportunidade de estudar.

Além disso, na área da educação, nós já recebemos os kits estudantis para o ano de 2015, conquistamos uma pós-graduação gratuita voltada para a educação no campo e criamos o Conselho Municipal de Educação, que até então era inexistente.

Ainda considerando a formação dos rioazulenses e até mesmo a descoberta de talentos, na área do esporte há um trabalho significativo sendo realizado. O merece ser destacado?

Em 2014, nós também conseguimos a escolinha de futebol, onde a criança não tem custo nenhum e mais de 150 crianças participam. Além do esporte, ela contribui muito para a formação humana, através das regras. No esporte, foram quase 1.200 jogos entre todos os campeonatos. Temos diversos campeonatos ao longo do ano. A secretaria de esporte foi bastante atuante em 2014 e acho que ela causa inveja em muitas da região por conta do belo trabalho.

Como grande parte da população do município reside na área rural, é dada atenção especial a este setor. Quais as ações de maior relevância vem sendo executadas?

Na agricultura, devemos destacar que os agricultores, na maioria dos casos, estão estabilizados. Então, o que eles precisam de auxílio da prefeitura é, por exemplo, condições para que ele possa trabalhar e comercializar o seu produto, através de pontes e estradas adequadas. Além disso, a Secretaria de Agricultura tem desenvolvido vários projetos de incentivo à diversificação de das propriedades. Apenas um dos projetos, em parceria com a Emater, atende 260 famílias, em que é feito um diagnóstico nas propriedades para identificar os potenciais. Outro projeto similar, em parceria com o ICAS/Deser, atende outras 140 famílias. Há um programa para a certificação de propriedades para a produção de alimentos orgânicos, com o apoio da Unicentro e Tecpar, a custo zero para os agropecuaristas. E já temos uma propriedade certificada para a produção de leite orgânico. Ainda existem projetos para auxiliar a comercialização de cereais, para a produção de ovos caipiras, para o aproveitamento de frutas nativas para a merenda escolar - o que começa agora em 2015. Também terá início no segundo semestre deste ano a produção de frango de corte caipira, dentre outras ações.

Ainda para atender  a população do interior foram feitas ampliações de postos de saúde. Quais postos receberam melhorias?

Todos os postos de saúde da área rural foram ou estão sendo ampliados. O primeiro passo após a ampliação e construção é buscar recursos para adquirir equipamentos e funcionários, o que é um processo lento. Nós temos capacidade e condição de abrigar mais duas equipes da Saúde da Família, porém, precisamos dessas obras concluídas para podermos alocá-los. Na parte dos médicos, a contratação é difícil, porque faltam profissionais no mercado e, aqueles que estão capacitados, dificilmente querem vir para o interior.

Como acontece o trabalho da Secretaria de Promoção Social e quais as principais ações?
Na Secretaria de Promoção Social várias ações foram concretizadas ou melhoradas, como o Centro da Juventude. Há a preocupação do ensinamento e formação humana. Muitas pessoas ainda vêem a secretaria como um local onde irão ganhar as coisas, mas não é assim que funciona. A Secretaria de Promoção Social é uma instituição que busca a promoção do ser humano, independente da classe social. Por exemplo, iremos iniciar o curso de costura de cama, mesa e banho, que irá formar mais de 100 mulheres. E já existem empresas interessadas na futura contratação dessas pessoas. Temos que continuar nessa transição, de assistencialismo para a preparação dos moradores para o mercado de trabalho. Essa história de cesta básica tem que acabar e só as pessoas que realmente precisam devem ganhar. Oportunidade de trabalho tem, o que precisa é de vontade e qualificação.

Ainda na busca da promoção do ser humano, como é o trabalho para atender os idosos?

Nós temos um trabalho muito sério com os idosos também. Graças ao trabalho deles, nós estamos aqui. Então, nada mais justo do que olhar de outra forma para eles. Nesse sentido, temos cursos para inclusão digital, projetos que cuidam da saúde e lazer. Tudo isso está refletindo positivamente na vida deles.

Quais as perspectivas para o ano de 2015?

Para 2015, a intenção é iniciar um trabalho intenso na criação de núcleos habitacionais, com previsão de quase 200 casas para diversos poderes aquisitivos. Apesar disso, as construções vão depender da capacidade da prefeitura adquirir áreas. A meta para 2015 é finalizar todas as obras que estão em andamento. Esse será o ano da habitação, porém, temos um sério problema financeiro, que aconteceu devido ao aumento de salário dos funcionários que se qualificassem. Essa lei foi instituída em 2010 e, em 2013, parte dos funcionários já tinham direito a esse aumento, que supera os 40%. Isso irá aumentar as despesas, que ficarão próximas do teto, e teremos que cortar muitos gastos. Eu tentei modificar essa lei e solicitei à Câmara uma modificação. Encaminhamos o projeto, que foi aprovado, mas algumas coisas terão que ser vetadas e o projeto voltará à Câmara para discussão e aprovação. Essa situação, infelizmente, ainda vai se prolongar.

Que legado você acredita que deixará até o final da sua gestão?

 O legado que eu irei deixar é a transparência nas licitações, para evitar as falcatruas e fraudes. Tendo uma licitação bem feita, o município economiza e pode investir melhor os recursos.




Letícia Torres e Ciro Ivatiuk/ Hoje Centro Sul