Pais de alunos de Escola Rural em Rebouças conseguem melhorias após mobilização - Jornal Iratiin

Recente

Home Top Ad

Post Top Ad

sábado, 13 de dezembro de 2014

Pais de alunos de Escola Rural em Rebouças conseguem melhorias após mobilização

Pais de alunos da Escola Rural Municipal Nossa Senhora de Lourdes, na localidade de Água Quente dos Luz, em Rebouças, conseguiram que a Prefeitura Municipal promovesse a limpeza do pátio e dos banheiros da instituição após denunciarem a situação de abandono da escola. Segundo eles, havia risco da escola ser fechada, a instituição tinha apenas um professor atendendo quatro turmas, sem merendeira e responsável pelos serviços gerais e com acúmulo de entulho e ferramentas perigosas no pátio e nos banheiros.


Arquivo pessoal
 Diante da situação precária, os pais decidiram tornar público o problema. A mãe Marli Inez Muzial explica que as melhorias prometidas ainda não foram realizadas. “Nós queremos melhorias como a secretária prometeu. Já faz um ano e nada mudou. A gente quer o melhor para os nossos filhos, isso não é um direito nosso?”, questiona. A moradora de Água Quente dos Luz, Andréia Vachak, conta que o único professor da escola precisa fazer todos os serviços. “A secretária prometeu uma reforma na escola e a substituição da merendeira, que estava afastada. O professor tinha que fazer a merenda e dar a aula. Também não tem uma faxineira formal. Como uma pessoa vai limpar a sala, fazer a merenda e dar aula?”, questiona.


Arquivo pessoal

Segundo um dos pais, Sérgio Wszolek, a secretária de Educação solicitou que os responsáveis comparecessem à Secretaria para discutir a questão, porém, os pais enviaram um bilhete pedindo para que a secretária fosse até a escola. Ainda segundo ele, a secretária não compareceu na localidade e se manifestou através de uma emissora de rádio do município. “A secretária foi convidada para participar de uma reunião na escola, mas ao invés dela conversar com os pais, ela preferiu ir à rádio se pronunciar”, afirma. Caso a escola seja fechada ou impedida de realizar as atividades pedagógicas, o estabelecimento de ensino mais próximo da localidade fica a 12km de distância.




Em entrevista à Rádio Alvorada, na última semana, a secretária da Educação de Rebouças, Silvia Letícia Padilha, questionou as fotos publicadas nas redes sociais sobre a  situação da escola. Ela ainda convidou os interessados a visitaram o estabelecimento de ensino para conferirem a real situação. A mãe Andréia Vachak afirma que o abandono registrado pelas imagens é real, retratou como a escola estava na semana passada. “As fotos são as que estão lá, aquele monte de lixo dentro do pátio, o banheiro está totalmente entupido de produtos, ninguém forjou foto nenhuma. É como a escola está”, ressaltou a Andréia na ocasião.

Desculpa

A secretária da Educação de Rebouças, Silvia Letícia Padilha, conta que quando assumiu o cargo, realizou visitas à Escola Rural Municipal Nossa Senhora de Lourdes e constatou que a situação de abandono vinha da gestão anterior. “Quando eu assumi o cargo, fui duas vezes até a localidade e fiz reuniões com os pais. Quando eu cheguei lá, eu constatei que vinha da administração anterior a possibilidade de fechar a escola. Eu acalmei os pais e falei que não iríamos fechar a escola, mas sim melhorá-la. A educação tem que ser planejada e pensada. Enquanto eu estiver no cargo, eu farei dessa forma”, diz.

Explicação

Ela ainda explica como está a atual situação do estabelecimento de ensino da localidade de Água Quente dos Luz. “O que nós temos hoje na escola de Água Quente dos Luz: um professor, que atende as turmas de 1ª a 2ª série em um período e 3ª a 4ª série no outro período - sete e oito alunos. Penso eu que é melhor do que uma escola particular. Nós instalamos internet lá e cada aluno tem um tablet para desenvolver as atividades. O professor recebe um valor a mais para ficar depois do horário, limpando a escola. Tudo isso, para não tirar o professor do horário da aula e atrapalhar as atividades pedagógicas”, ressalta.

Solução encaminhada

Silvia Letícia Padilha destaca que, junto com a equipe pedagógica, assumiu compromissos com os pais dos alunos e afirma que a situação está sendo resolvida. “Depois dessas reuniões e conversas, eu e a equipe pedagógica nos comprometemos a dar as tintas para a pintura, mas os pais deveriam ajudar com a mão-de-obra. Na questão do mobiliário, o município adquiriu kits de mobiliário para todas as escolas. Só falta a entrega para emitirmos a nota fiscal e podermos enviar às escolas. Sobre a servente e auxiliar de serviços gerais, nós chamamos uma servente concursada, mas ela ficou doente e está afastada por tempo indeterminado. Eu não tenho como chamar outra pessoa se não for através de concurso público”. Segundo o inciso IX do artigo 37 da Constituição Federal de 1988, há a possibilidade de contratar servidor temporário, sem a realização de concurso público, em situações de urgência ou interesse público. Segundo o inciso IX do artigo 37, “a lei estabelecerá os casos de contratação por tempo determinado para atender a necessidade temporária de excepcional interesse público”.

Kyene Becker, com informações da Rádio Alvorada