O Sentido do Natal - Jornal Iratiin

Recente

Home Top Ad

Post Top Ad

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

O Sentido do Natal

“  Que bom chegou o Natal!” eu dizia alegre,  elogo me veio na mente os presentes, a ceia de Natal, a árvore com os enfeites, os magos e a estrela. Ah! É claro, também o papai Noel.
Mas enquanto pensava nisso, chegou um garoto de oito anos de idade aproximadamente e me disse: “É chegou o Natal, e sei no que está pensando, mas você sabe o significado de todos os símbolos do Natal?”.

“Sei somente de alguns”,  respondi impressionado com a pergunta do menino.
“A ceia de Natal”, disse-me, “para muitos, é só uma ocasião para encontrar toda a família, mas ademais deste encontro familiar A ceia de Natal serve para recordar que a nossa verdadeira vida é Cristo, o Filho de Deus que estamos festejando. É o momento em que a família se reúne lembrando a ceia que Jesus fez com seus discípulos na qual Ele se entregou como alimento, através da Eucaristia.
A árvore é o símbolo da vida, por isso a enfeitamos para receber a verdadeira vida que é Cristo. A enfeitamos com sinos para que lancem no ar a grande mensagem do nascimento de Cristo; por isso o sino é sinal de anúncio e de alegria para todos.

As bolas coloridas significam os frutos daquela árvore viva; são os dons que o nascimento de Cristo nos trouxe: amor, perdão, oração, fé, verdade, docilidade e a Vontade do Pai por meio dos seus ensinamentos.
Agora por que todos dão presentes no Natal? Sabe responder-me?”
“É... na verdade não sei”, respondi.
“Quando gostamos de uma pessoa, nós a presenteamos”. Seguiu ele. “Assim Deus fez com os homens, Ele não só gosta de todos. Ele os ama! Por isso lhes presenteia o mais sagrado dos presentes. ‘Tanto amou Deus ao mundo que enviou seu Filho’”.
Eu estava maravilhado com o conhecimento do garoto. Como sabia tudo aquilo? Não sei. Mas ele seguiu falando.
“Todos sabem que, quando nasceu Jesus, alguns magos vieram do oriente a procura dele; eles foram guiados por uma estrela de quatro pontas que representam as direções da terra, de onde vêem os homens para adorar a grande luz que é Jesus. A cauda luminosa nos aponta o caminho para chegar a Deus.”
Para ver se conseguia deixar-lhe sem resposta, perguntei-lhe: “Quem fez o primeiro Presépio? E qual é o sentido?”.

“O presépio também tem seu sentido. O primeiro foi feito em 1223, por São Francisco de Assis, para interpretar a vida do homem a partir da de Cristo, representando a doutrina de Jesus que é pobreza, simplicidade, fé, humildade, docilidade e unidade da família”.
Ele me deixou de boca aberta, pois nem eu tinha certeza destes dados. Ele falava com tanta segurança que parecia haver ajudado a São Francisco a construí-lo.

“Hoje em dia o Natal, para muitos, se reduz a presentes e o papai Noel”. Seguiu ele. “Mas poucos sabem que o papai Noel que todos conhecem atualmente viveu a alguns anos atrás no hemisfério norte e não no Pólo Norte. Era um senhor muito caridoso, e ao ver que havia muitas crianças tristes no seu povoado, ele decidiu fazê-las felizes, pois via nelas a Cristo. Por isso, todos os dias de Natal, ele distribuía presentes para elas durante a noite, com o fim de fazê-las felizes”.
“O que você diria de alguém que é convidado a uma festa de um amigo, e ao chegar nem se quer saúda àquele lhe convidou, não lhe dá um presente, um abraço, nem si quer o saúda. Só se preocupa de comer, dançar e rir?”. Perguntou-me, interrompendo a narração.

“Este é um egoísta que não ama verdadeiramente a seu amigo” respondi.

O garoto começou a chorar e me disse: “É isso que muitos fazem comigo todos os anos” e começou a correr.

Eu lhe perguntei gritando “E quem é você?”. Ele parou e me disse: “Eu sou Jesus” e nisso desapareceu.

Eu fiquei parado pensando em suas palavras. Muitas vezes atuamos assim. Fazemos o mesmo com Cristo, pois ao chegar o Natal, festa que celebramos o seu nascimento, nem si quer nos lembramos dele, pois estamos preocupados pelos presentes, comida e bebida.

Agora ao entrar em contato com os elementos do Natal, vemos que todos só têm sentido em Cristo.
Não podemos ficar só no superficial, não podemos cultivar uma árvore sem raiz, porque sabemos que morrerá, por isso em primeiro lugar devemos lembrar-nos de Cristo, que é a raiz da festa do Natal, e sem Ele o Natal não tem sentido.

Antes de pensar ou de dar um presente a seus filhos e familiares, qual é o presente que dará a Cristo nesta Natal?

(Ir. Douglas Ginkreski, LC)