Política em questão - Jornal Iratiin

Recente

Home Top Ad

Post Top Ad

sábado, 29 de novembro de 2014

Política em questão

Data-base

Uma boa notícia para os  funcionários públicos municipais de Irati é que a data-base será dada na folha de pagamento de novembro. Em negociação entre o prefeito Odilon Burgath e representantes do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Irati (SISMI), no dia 21, ficou definida a data-base de  1,5%. Quanto ao processo e ao acordo referente aos 35%, Burgath informa que o município já pagou 17,3%.

Reunião atípica

A reunião ordinária da Associação dos Municípios do Centro Sul do Paraná (Amcespar), no dia 21,  fugiu ao convencional: foi mais dinâmica e rápida do que de costume. Sem muitos debates e questionamentos, quase não se ouviu a voz dos prefeitos durante o encontro. Apenas o presidente da entidade falou para conduzir a reunião.

Eleição para presidente da Amcespar

O novo presidente da Amcespar deverá ser eleito, por aclamação, em janeiro de 2015. Na mesma ocasião também serão escolhidos os demais membros da diretoria e das Câmaras Permanentes, além do presidente do Consórcio Intermunicipal de Saúde. Estão ocorrendo conversações entre os prefeitos para definir quem assume o cargo. No início de 2013 houve uma grande disputa pela presidência entre os prefeitos de Rebouças e Prudentópolis. Acredita-se que em 2015 o eleição será menos concorrida.

Toda atenção

O Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR) tem fiscalizado e penalizados os entes políticos que agem irregularmente. Na sessão do dia 05 de novembro, o TCE-PR determinou a devolução de R$ 12.287.028,62 pelo ex-prefeito de Campo Magro - município situado na Região Metropolitana de Curitiba -, José Antônio Pase (gestão 2009-2012) por irregularidades na gestão de pessoal e em contratos de prestação de serviços. O Tribunal também aplicou ao ex-gestor 106 multas, que somam R$ 60.065,55, e determinou a rescisão de contratos irregulares e a exoneração de funcionários comissionados. Todos os prefeitos precisam ficar atentos e respeitar as leis para evitar problemas como este.

Transparência inexistente

Informações divergentes e falta de prestação de contas são uma triste realidade vivenciada em Rebouças, no Hospital Darcy Vargas. O prefeito Claudemir Herthel afirma que o repasse mensal do município para a entidade está em dia, o ex-diretor do Hospital, Darci Rodrigues da Silva, afirma que apenas metade do dinheiro foi repassado e que os médicos também não estão com o pagamento em dia. Esta e outras questões só vieram à tona porque os demais funcionários, que estavam há três meses sem salários, decidiram cruzar os braços. Depois de alguns dias de greve e grande mobilização, o atraso nos salários parece estar sendo resolvido. Quanto às divergências nas informações, em quem acreditar?

Acesso a medicamento

Um medicamento considerado insubstituível e necessário para a sobrevivência dos pacientes com diabetes tipo dois terá que ser fornecido gratuitamente aos cidadãos pela Secretaria de Estado da Saúde. Em entrevista à Rádio Najuá, a promotora  Maria Luiza Correia de Melo, contou que uma liminar foi concedida pelo juiz de direito da Comarca de Irati, Dr. Fernando Eugênio Martins de Paula Santos Lima, em 18 de novembro. “Ele concedeu esta liminar determinando que o Estado do Paraná, através da 4ª Regional de Saúde, entregue, sem precisar de ação judicial, o medicamento Galvus a todos os pacientes portadores de diabetes tipo 2 e que necessitem fazer uso desta medicação”, afirmou a promotora.

Por Letícia Torres