Escola dos Colonizadores, situada em Gonçalves Júnior, obteve índice acima de 6 no IDEB - Jornal Iratiin

Recente

Home Top Ad

Post Top Ad

domingo, 28 de setembro de 2014

Escola dos Colonizadores, situada em Gonçalves Júnior, obteve índice acima de 6 no IDEB

Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) de 2013 aponta que em Gonçalves Junior, a Escola Rural Municipal dos Colonizadores obteve uma das maiores notas do Ideb de Irati (PR) e foi destaque dentre os estabelecimentos da área rural.

Conforme a diretora da escola, Márcia Aparecida, a escola no ano de 2011 apresentou índice 5,9, e em 2013 obteve um grande avanço. “Nós tínhamos uma meta para 2013 de 6,1, porém alcançamos 6,2, o que é comemorado com muita alegria por toda equipe da escola”, conta.

Márcia acredita ser muito importante participar do Ideb e fica muito feliz pela elevação da nota. “A gente acha que seria muito triste se nós não participássemos, e pior, se não alcançássemos pelo menos a meta. E com esse ótimo resultado, acreditamos que o município trará muitos benefícios para a escola, como melhorias em vários setores”, conclui.

Para a coordenadora, Débora Aparecida Vagner, o índice é o resultado de um trabalho de equipe bem feito e com tudo isso a valorização aumenta. “Com esse resultado o trabalho de todos os professores, dos alunos e de toda equipe é mais valorizado. Estamos todos contentes com os resultados e vamos trabalhar para cada vez mais melhorar o ensino e conquistar notas melhores”, expõe.

IDEB

O Índice de Desenvolvimento da Educação Básica foi criado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) em 2007 e representa a iniciativa pioneira de reunir em um só indicador, dois conceitos igualmente importantes para a qualidade da educação: fluxo escolar e médias de desempenho nas avaliações.

O índice é atualizado a cada dois anos, e o objetivo é que até 2021 a média das escolas municipais e estaduais chegue à nota seis, o que corresponde ao ensino concedido em países desenvolvidos, segundo o MEC.



Por Thaís Siqueira/Hoje Centro Sul