Obras na nova rodoviária de Irati são retomadas - Jornal Iratiin

Recente

Home Top Ad

Post Top Ad

sábado, 19 de julho de 2014

Obras na nova rodoviária de Irati são retomadas


Em decisão na tarde desta segunda-feira (14), o Juízo da 1ª Vara Cível de Irati estabeleceu a retomada das obras da nova rodoviária do município. 
Os trabalhos para a construção da nova rodoviária de Irati haviam sido suspensos na sexta-feira (11).

A obra, que já tinha sido paralisada em março de 2013 por uma briga judicial entre Prefeitura e empresa responsável pela construção, foi retomada em janeiro deste ano. Em outubro de 2013, a Prefeitura conseguiu a liminar para retomar as obras e no mesmo mês, abriu um novo processo licitatório. A empresa vencedora assumiu os trabalhos no início de 2014 e o prazo contratual de entrega foi estabelecido em 5 a 6 meses. Entretanto, foi preciso prorrogação de prazo.

O secretário de Engenharia, Arquitetura e Urbanismo, Sandro Luiz Pozgurski, explica que a obra está perto do fim e que, agora, poderá ser concluída. “A nossa previsão era inaugurar a nova rodoviária no aniversário da cidade”, afirma. Ele conta que o período de chuvas dificultou a execução e atrasou um pouco a entrega.
O procurador geral do Município de Irati, Ulysses de Mattos, explica que apesar dessa decisão, a causa ainda corre na Justiça. “A causa ainda não está perto do fim. Nesse momento, o pedido da perícia direta foi negado. Mas ainda irão julgar se haverá a perícia indireta”, completa.

Entenda o caso
A briga judicial é antiga e envolve a antiga construtora responsável pela obra, Stafim Execuções de Obras Ltda. e a Prefeitura Municipal de Irati. O contrato entre as duas partes encerrou em 2012 e, em 2013, a empresa Stafim entrou na Justiça com um pedido de medida cautelar de antecipação de provas, onde exigia uma perícia na obra. A empresa tomou esta atitude com o objetivo de demonstrar se houve ou não algum impedimento que acarretasse atraso na obra.
Em novembro de 2013, empresa e prefeitura se reuniram e apresentaram propostas, mas não entraram em acordo. Na última sexta-feira (11), a Stafim Execuções conseguiu uma liminar que suspendeu novamente a construção. Novamente, a construtora exigia a perícia de forma direta para constatar se houve impedimento, de alguma forma, que pudesse ter ocasionado o atraso da entrega da obra.



O procurador geral do Município de Irati, Ulysses de Mattos, afirma que a perícia direta, nessa fase da construção, não é viável. “Não somos contra a perícia, mas atualmente, ela só pode ser feita de forma indireta, através de relatórios e laudos, porque a obra já sofreu alterações”. Ele explica que a empresa Stafim Execuções alega que não pôde concluir a obra por causa de impedimentos. “Ele alega que não poderia ter concluído a obra dentro do prazo, porque houve impedimentos. E isso, só uma perícia poderia confirmar. Mas agora que a obra já sofreu alterações, a perícia só pode ser feita de forma indireta. Esse pedido deveria ter sido feito antes”, afirma.
O procurador também explica que a empresa Stafim Execuções pede para retomar a obra, o que não é possível, segundo ele. “É impossível, porque outra licitação foi aberta e outra construtora já ganhou e assumiu a construção”.

Texto: Kyene Becker/Hoje Centro Sul
Foto Capa: Ciro Ivatiuk / /Hoje Centro Sul


O Hoje Centro Sul entrevistou alguns usuários da rodoviária :

Pedro Martins, 56 anos, aposentado, diz que é fundamental o município de Irati ter o mais breve possível uma rodoviária melhor. “Para a gente que vem do interior e que sempre está utilizando a rodoviária, seria melhor ter um local mais organizado e apropriado para o uso. A nova construção já deveria estar pronta, e não sei quando termina, mas assim que for inaugurada, com certeza será aproveitado pelo povo de Irati e região”.



A moradora de Inácio Martins (PR), Josiane de Fátima da Silva, 26 anos, revela que depende da rodoviária para se locomover e, assim como muitos, está na espera do fim das obras do novo prédio. “Para mim quanto mais antes sair o novo prédio será melhor, porque esta rodoviária que nós estamos usando é provisória e encontra-se em situação precária. E uma coisa que está incomodando a todos, é a demora do término das obras do novo prédio, não sei porque a demora, todos querem um lugar melhor para usufruir, então estamos na expectativa”.



Mauri Ribeiro, 33 anos, carpinteiro, aponta a importância de a nova rodoviária ser finalizada e disponibilizada para o uso de toda população. Segundo ele, a rodoviária provisória está em péssimas condições de uso, sente falta de organização e diz que Irati precisa urgentemente de um novo espaço. “É bastante complicado falar sobre isso, pois essa rodoviária provisória é mal organizada e pequena. Irati merece coisa melhor, e estou na torcida para que seja feito algo para o término da construção seja finalizada o mais rápido possível e todos ficarem satisfeitos em um novo local, melhor e mais aconchegante”.



João Maria Mendes, 64 anos, aposentado e morador de Fernandes Pinheiro (PR), acredita ter mais pressa no término das obras, do que os responsáveis pela obra, e faz um apelo para a Prefeitura e responsáveis para inaugurarem a nova rodoviária o quanto antes. “Eu não sei qual é o motivo de tanta demora, mas acredito que já passou da hora da entrega e da inauguração. O novo prédio com certeza trará mais comodidade para todos que precisam usar, e tomara que tenha mais organização e limpeza do que a provisória, que todo mundo nota que está em péssima condição de uso. Também estou na torcida para que fique pronto o mais breve possível, vamos esperar, pois isso é uma coisa que vai favorecer todos nós que temos a necessidade de uso e dependemos de ônibus”.




Entrevista, texto e fotos: Thais Siqueira/ Hoje Centro Sul