O mapa da violência no trânsito em Irati - Jornal Iratiin

Recente

Home Top Ad

Post Top Ad

quarta-feira, 11 de junho de 2014

O mapa da violência no trânsito em Irati

Em grande parte das cidades brasileiras, a facilidade de crédito e parcelamento aumentou a procura pela primeira CNH (Carteira Nacional de Habilitação) e pela compra do primeiro carro. Realidade que não é diferente nos municípios da região Centro Sul do Paraná. Segundo dados do Detran-PR, só no primeiro trimestre de 2014, mais de 31 mil veículos estavam registrados na cidade de Irati. No mesmo período em 2013, o número não chegava a 29 mil. O aumento de quase 7% na frota de veículos colocou em evidência um problema que, até então, era mais observado em municípios de grande porte: os constantes acidentes de trânsito.

Quem utiliza diariamente carro ou moto sabe que, com o aumento de veículos dividindo espaço nas ruas, a atenção na hora de dirigir deve ser redobrada. Dados da 8ª Companhia Independente de Polícia Militar de Irati (CIPM), apontam que nesse ano, até abril, já foram registrados 81 acidentes de trânsito, sendo os homens os responsáveis por 80% dos casos.
Para o sargento Flávio Leandro Blanski, da 8ª CIPM, a imprudência é um dos fatores determinantes no momento dos acidentes. "A grande maioria dos acidentes de trânsito acontece por imprudência do motorista, ou seja, a falta de cuidado na hora da condução de seu veículo. Deixando de respeitar as normas de trânsito, ele coloca em risco a sua vida e a de outros condutores e pedestres", afirma.

Teresinha mostra os protocolos que realiza desde 2004

Susto

Quem já passou pelo momento delicado de um acidente de trânsito sabe que o susto não é pequeno. André Luiz Fernandes, 20 anos, operador de produção, voltava para casa do trabalho, quando teve seu carro atingido no cruzamento das ruas Nossa Senhora de Fátima e Abílio Carvalho Bastos. "Só vi o carro vindo para o meu lado e, em seguida, a colisão. Segui em direção ao muro e, por sorte, não atingi ninguém". Com a batida, o carro de André foi jogado contra o muro de um hospital, onde há um movimentado ponto de ônibus.

O acidente de André aconteceu durante um dia de chuva, mas se engana quem pensa que o caso é uma regra. Segundo os dados da 8ª CIPM, mais de 80% dos acidentes ocorrem com o tempo bom, ou seja, em dias de sol. O operador de produção reclama da irresponsabilidade de muitos motoristas. "Acho perigoso dirigir aqui em Irati. Na mesma semana em que aconteceu o meu acidente, soube de outros mais e não só no cruzamento onde ocorreu o meu". Para ele, a falta de um planejamento eficaz das ruas da cidade é o maior problema para o trânsito. "Lombadas não resolvem nada e sinaleiros em certos locais podem causar congestionamento", opina.

Flávia Bühler dos Santos, técnica universitária e moradora de Irati há 12 anos, também já sofreu um acidente de trânsito no centro da cidade, que aconteceu no cruzamento das ruas Dr. Munhoz da Rocha e Coronel Gracia. “Eu estava descendo a Coronel Gracia, não parei na preferencial e bati em outro carro. Como eu estava errada, imediatamente assumi a culpa e acionei o seguro, que prestou auxílio às partes”,diz. Flávia conta que durante o acidente, o trânsito foi prejudicado pelo tumulto de pessoas no local. “O que me impressionou e me deixou mais nervosa foi a quantidade excessiva de pessoas que se aglomerou no local, tumultuando ainda mais o trânsito”.

A técnica universitária, que utiliza a BR-153 diariamente para ir ao trabalho, comenta os problemas na via. “Frequentemente há animais na pista, como cavalos, vacas, etc. Na sexta-feira da semana passada, inclusive, no início da tarde, havia dois cavalos bem no meio da rodovia”, relata.

Reclamações

Os moradores e comerciantes da rua Nossa Senhora de Fátima também estão descontentes,  pois só neste ano  já aconteceram seis acidentes na via. Terezinha Miranda Veres, 41, proprietária de uma loja na esquina das ruas Nossa Senhora de Fátima e Zeferino Bittencourt coleciona pedidos por melhorias no local. "Foi no ano de 2004 que eu fiz o primeiro protocolo, porque houve um incidente com o meu estabelecimento comercial, onde um carro adentrou com o impacto, e desde 2004, venho pedindo e fazendo protocolos, abaixo-assinados e tudo o que eu posso", afirma.
O primeiro protocolo pedindo maior segurança na via foi em 2004, mas só 10 anos depois, em 2014, ela obteve uma resposta do órgão responsável. "Em março, eu recebi o ofício do Iratran [Departamento de Trânsito de Irati]. Eles falaram que vão instalar um semáforo nas ruas de cima [Abílio Carvalho Bastos e Nossa Senhora de Fátima]". Apesar disso, Teresinha explica que ainda não acredita que as providências serão tomadas em breve. "Eles falaram que vão tomar uma providência, mas eu não acredito. Eu não acredito, mas eu vou até o final, eu não vou desistir enquanto eles não fizerem alguma coisa", completa.

Excesso de velocidade

Os moradores reclamam da alta velocidade dos condutores de veículos, o que é uma infração de trânsito e evidencia imprudência. Eles afirmam que com a mudança de direção das ruas 19 de Dezembro e Antônio Cavalim e com a instalação de travessias elevadas na Avenida Getúlio Vargas, muitos motoristas utilizam a rua Nossa Senhora de Fátima e acabam não respeitando o limite de velocidade, principalmente nos horários de pico: 8h, 12h e 18h.
Teresinha conta que as pessoas têm medo de atravessar a rua. "Nada é respeitado. Até mesmo o meu filho fez cirurgia em novembro e eu fui buscar ele de carro no hospital, que é só atravessar a rua, porque não tem condições de uma pessoa, uma gestante, um pós-operatório atravessar essa rua. Não tem como mesmo".

Álcool e direção

Dentre as causas de acidentes, além da imprudência na hora de dirigir, a falta de responsabilidade ao misturar bebida e direção é um problema frequente. "Muitas vezes essa mistura pode causar acidentes graves. Este ano foram 37 condutores presos em flagrante por dirigir embriagado e em 2013, foram 119. Com a nossa fiscalização constante, felizmente esse número está diminuindo", destaca o sargento Flávio Leandro Blanski.

Orientações

Os condutores devem estar sempre atentos ao dirigir. Direção segura e boa educação no trânsito podem evitar futuros problemas.

O Departamento de Trânsito da Polícia Militar de Irati dá orientações para se evitar um acidente de trânsito:
- Manter uma boa distância do carro da frente para o caso de atitudes inesperadas do outro condutor;
- Sinalizar corretamente as conversões;
- Em cruzamentos não sinalizados, o veículo na via da direita tem a preferência,
- Quando em marcha ré, retroceder devagar observando os dois espelhos,
- Não usar o telefone celular, pois desvia a atenção do condutor;
- Motociclistas devem conduzir sempre com o farol da motocicleta ligado, mesmo durante o dia.

Por Kyene Becker
Foto: Kyene Becker/Hoje Centro Sul