Solenidade em Homenagem ao Patrono da PM - Jornal Iratiin

Recente

Home Top Ad

Post Top Ad

domingo, 18 de maio de 2014

Solenidade em Homenagem ao Patrono da PM



Na manhã de sexta-feira (16), houve a cerimônia em homenagem ao Patrono da Polícia Militar do Paraná, Coronel Joaquim Antonio de Moraes Sarmento. Estiveram presentes policiais da 8° Companhia Independente da Polícia Militar e diversas autoridades. Entre elas o prefeito em exercício de Irati Oscar Renato Berger, o chefe da 4° regional de saúde, João Almeida Junior e o secretário e o chefe regional da secretaria da família e desenvolvimento social, Francisco Marochi. Na solenidade, além das homenagens para a importante data, houve entrega de medalhas para policiais da companhia em forma de homenagem aos serviços prestados.
História
O Coronel Sarmento participou bravamente de diversos feitos históricos no Estado do Paraná, dentre eles a Campanha do Contestado em 1912, a Revolta de 1922 e a Revolução de 1924, ocasiões em que agiu com prontidão,   lealdade   e   dedicação,   não   poupando   esforços   nem sacrifícios para   com   a   causa   pública   e   a   defesa   dos   poderes constituídos.
            No Combate do Irani, na Campanha do Contestado, foi ferido com um golpe de facão que lhe rasgou a  face,   extirpando-lhe  o  olho direito e produzindo-lhe uma cicatriz que o marcou para o resto de sua vida.
            Por seu exemplo, o Governo do Estado do Paraná, no dia 07 de fevereiro de 1968, por meio do Decreto 8.871, declarou o Coronel PM  Joaquim  Antonio  de  Moraes  Sarmento  como  Patrono  da Polícia Militar do Paraná, estabelecendo que sua memória seja sempre cultuada em solenidade cívica organizada pela Corporação Militar, anualmente, na data de seu nascimento, dia dezessete de maio.
Foram homenageados cinco policiais, em diferentes categorias. Para o 1º Tenente Marcondes, 2º Sgt. Laertes, 3º Sgt. Ferraz foram entregues medalhas de bronze, por terem completado dez anos de efetivo serviço, sem punições disciplinares. O Cb. Gonçalves recebeu medalha de prata por vinte anos de serviços prestados para os serviços militares. Já a Sd. Simone recebeu uma menção honrosa na solenidade.

Honra e gratidão
            O Major Renato dos Santos Taborda conta sobre a importância de relembrar a data do Patrono Coronel Joaquim Antonio de Moraes Sarmento anualmente. “Os seus feitos nos diz a pessoa que foi e que hoje nos serve de exemplo e o seu nome já se perpetuou no nome da nossa Polícia Militar que tem hoje 160 anos de existência”, relembra o Major.
            Policiais Militares foram agraciados com honrarias durante a solenidade. A soldada Simone foi uma dessas homenageadas e conta que é um privilégio receber a menção honrosa. “Eu me sinto muito orgulhosa, já que a menção honrosa parte da indicação do comando da unidade, pelos serviços prestados, pelo desenvolvimento das atividades aqui na companhia. São oito anos na corporação então me sinto imensamente feliz por receber essa medalha,” conta Simone.
            Há dez anos prestando serviços à população de forma correta o 3° Sg. Ferraz recebeu a medalha de bronze, nessa data tão especial e conta que é uma alegria imensa poder servir . “É o reconhecimento de um policial que trabalha há dez anos na tropa prestando serviços à comunidade. Para receber essa medalha, ou as de prata e bronze, além do tempo de serviços prestados, o policial deve ter um comportamento exemplar. Mas a emoção de receber a medalha mesmo na data do nosso patrono não tem como mensurar, é muito bom e fico feliz pelo reconhecimento”, explica Ferraz.
            O major Taborda conta que poder premiar os policiais pelos serviços prestados lhe dá uma alegria imensa. “Digamos que eu sou o dono de uma empresa, e tenho satisfação de chamar um funcionário que está há 10 anos, 20 anos comigo, desenvolvendo um trabalho interno muito bom e principalmente um trabalho externo. A satisfação é enorme, porque ele faz com que a empresa cresça e que o cliente fique satisfeito é isso que eu me sinto hoje nesse sentido,” conclui o Major.

Texto e fotos: Augusto Travensolli/ Hoje Centro Sul