Democracia - Jornal Iratiin

Recente

Home Top Ad

Post Top Ad

quarta-feira, 14 de maio de 2014

Democracia


Odilon Burgath e Oscar Renato Berger 
Democracia

Pela primeira vez na história de Irati, um agricultor de Gonçalves Júnior assume um dos mais elevados cargos públicos do Município,  chefe do Poder Executivo.
Isto é democracia.
Democracia que surgiu na Grécia Antiga e foi ganhando características mais inclusivas ao longo dos tempo, o que permite ampla participação política dos cidadãos. 
Graças a ela, um  metalúrgico, filho de pais analfabetos, conseguiu  ser presidente do Brasil. Com carisma, foi reeleito e, depois, ainda fez sucessor.

Em Irati, ao contrário do que todos pensavam até poucos dias antes das eleições, um servidor público federal, que fez campanha à pé, batendo de porta em porta, venceu.

 Com ele, um vice-prefeito de jeito simples, do interior. Agora, menos de um ano e meio depois de assumirem o mandato, Oscar Renato Berger substitui Odilon Burgath no comando de Irati.

Com olhar voltado às necessidades dos moradores da área rural, o vice pretende fazer o que for possível para auxiliá-los, sobretudo nesses poucos dias em que terá a caneta na mão.      
Um agricultor no comando do Poder  Executivo evidencia a alternância de poderes.

Lula ainda sindicalista nos anos 80
 A alternância com a oligarquia. Não só os filhos de famílias abonadas, que estudaram em colégios caros podem chegar  a cargos  como os de prefeito, de presidente.
 Assim,  a história nos mostra que é possível ao jovem,  é possível àquele que tem um sonho, que tem idealismo, vontade de mudar a realidade, agir politicamente.  
Através do voto, conseguir espaço para expressar a sua opinião e tentar, a seu modo, colaborar para que haja melhor qualidade de vida, saúde, educação, emprego. 

Acompanhado a rotina de políticos em ano eleitoral, observamos o quanto ela é corrida. É cansativo e desgastante. Conseguir votos é trabalhoso. Expressar ideias e convencer é difícil.

Caso houvesse meios para burlar as urnas eletrônicas, como tantos falam em redes sociais, com certeza alguns dos mais votados não seriam os que articulam bem uma campanha e correm pessoalmente atrás de votos.

Seriedade no processo de votação eletrônica e perspectivas de alternância de poder imprimem considerável brilho à democracia brasileira, fazem com que a história política recente do país seja marcada por certa esperança, apesar do desgosto de muitas pessoas para com a classe que governa, independente de partidos políticos, cidade, estado ou país.


Editorial / Hoje Centro Sul