Crime passional, desavenças pessoais ou envolvimento com drogas, são as linhas de investigação da Policia Civil a respeito da morte do jovem Juziel Marcos Remes de Andrade - Jornal Iratiin

Recente

Home Top Ad

Post Top Ad

segunda-feira, 24 de março de 2014

Crime passional, desavenças pessoais ou envolvimento com drogas, são as linhas de investigação da Policia Civil a respeito da morte do jovem Juziel Marcos Remes de Andrade

 

Apesar de informações preliminares que chegaram até a Polícia Civil indicarem para a possibilidade de crime passional, ainda existem duas outras hipóteses que a investigação deve apurar para entender o que ocasionou a morte do jovem Juziel Marcos Remes de Andrade. O corpo do jovem, de 17 anos, foi encontrado em um terreno baldio da Rua Vicente Machado na manhã desta segunda (24). Ele estava desaparecido desde a madrugada de domingo (23), após sair de um evento numa casa noturna em Irati.

“O inquérito policial está sendo aberto agora, já foi feito o levantamento no local do crime. A primeira coisa é saber a causa da morte. Vamos também trabalhar em cima de câmeras fotográficas e imagens que existem no local onde ele esteve, com quem esteve, se saiu com alguém do ambiente onde estava, quais pessoas estavam com ele, se ele foi seguido na rua por alguém”, conta o delegado Jorge Luiz Wolker, da 41ª Delegacia Regional de Polícia Civil (DRP) de Irati.

Ao que consta, segundo Wolker, há uma câmera de vigilância próxima ao local onde o corpo foi encontrado, o que vai permitir averiguar se alguém o seguiu até o local do crime e pode auxiliar na identificação do autor. Juziel foi encontrado com traumatismo crânio-cefálico proveniente de pauladas e pedradas. No local do crime também foram encontrados objetos pessoais da vítima, como os tênis do rapaz e sua carteira.
 O corpo do jovem foi encaminhado na manhã desta segunda-feira (24) para o Instituto Médico Legal (IML) de Ponta Grossa, para ser elaborado o laudo cadavérico e apurar se ele havia ingerido álcool ou alguma outra substância, além de analisar os ferimentos que ocasionaram a morte do rapaz. “Com base nisso, vamos começar a ouvir testemunhas para saber se há alguém que tinha alguma desavença com ele, se existe algum problema de envolvimento com drogas, se existe algum problema de envolvimento com namorada ou alguma coisa semelhante”, esclarece o delegado.

A Polícia Civil afirmou não ser capaz de precisar o horário da morte de jovem, com base na observação das condições em que o corpo fora encontrado. Conforme Wolker, somente o médico legista e o laudo cadavérico podem apontar essa informação de modo correto.

Através de informações preliminares que a Polícia Civil coletou, a investigação trabalha de modo mais incisivo com a hipótese de crime passional. “Talvez por um envolvimento com alguma garota e, talvez, a ideia não fosse assassiná-lo; mas apenas agredi-lo e exageraram na dose. Acho que foi isso o que aconteceu”, afirma Wolker.

O crime que chocou Irati, na visão do delegado, infelizmente faz parte do cotidiano de pequenas e grandes cidades. “O assassinato é algo que não se pode prever. Quando alguém resolve e decide matar outra pessoa, vai matar. Não há nada no mundo que impeça isso. Homicídio, como qualquer outro delito, faz parte da nossa rotina de trabalho. Um fato desses é triste para a família, mas ela tem que acompanhar os filhos, saber quem são suas amizades e outras coisas mais, porque mesmo que a família oriente o filho e faça de tudo, às vezes o filho está em má companhia. Resta apenas lamentar”, 



Texto: Edilson Kernicki,/Najuá , com reportagem de Hoje Centro Sul

Fotos e reportagem: Allyson Pallisser /Hoje Centro Sul






Juziel Marcos Remes de Andrade foi morto a pedradas - © Reprodução Facebook