Prédios Históricos da Região - Estação ferroviária de Teixeira Soares - Jornal Iratiin

Recente

Home Top Ad

Post Top Ad

terça-feira, 7 de julho de 2015

Prédios Históricos da Região - Estação ferroviária de Teixeira Soares




A estação de Teixeira Soares, o grande nome da ferrovia no Estado do Paraná, foi inaugurada em 1900. A região em volta da estação chamava-se na época Boa Vista, mas a estação já foi aberta com o nome do já famoso engenheiro, que, não por acaso, era diretor e acionista da Estrada de Ferro São Paulo - Rio Grande, Drº Teixeira Soares. A construção da estrada de ferro na localidade trouxe muitos empregados e forasteiros.

A população da vila aumentava. Inaugurada a estação ferroviária, chegam à vila o capitão João Negrão Junior, vindo de Morretes, José Antonio Bueno e Martin Wytkoski, entre outros. Em 1905, chega Antonio Maria Correia de Sá e, no ano seguinte, Manoel de Azevedo Machado.

O setor ervateiro ganha impulso em 1908, quando o coronel João Ribeiro de Macedo montou o primeiro engenho de serrar, juntamente com um soque de erva, confiando a direção do empreendimento ao filho Manoel de Azevedo Macedo.

Com transporte facilitado, pela passagem da ferrovia, logo a exploração madeireira teve início. No início do século XX, um pinheiro de vinte polegadas valia muito. O embarque da madeira era feito em qualquer ponto da linha férrea. Em volta da estação foi se criando um arraial, que, em 14 de julho de 1917, tornou-se o município de Teixeira Soares, vivendo de serrarias e hervais.

Devido ao término do transporte de passageiros na década de 80, a estação foi desativada e por muito foi usada como depósito, comércio entre outros, o que a deixaram descaracterizada. Mas, devido as intervenções dos atuais governos, a estação volta a ter destaque, sendo que hoje ela abriga a casa do artesão durante todo o ano e no mês de dezembro se transforma na Estação do Papai Noel, onde é decorada por dentro e por fora e recebe milhares de visitantes que se encantam com sua história e decoração natalina.

Ana Paula Schreider / Hoje Centro Sul