CASA DA MEMÓRIA - São Mateus do Sul - Jornal Iratiin

Recente

Home Top Ad

Post Top Ad

terça-feira, 23 de junho de 2015

CASA DA MEMÓRIA - São Mateus do Sul

CASA DA MEMÓRIA - São Mateus do Sul

Série Prédios Históricos da Região

A Casa da memória de São Mateus do Sul foi criada pela Lei nº 738/85, de 29 de outubro de 1985, proposta pelo então vereador Argos Fayad, tendo sido sancionada pelo então prefeito Laurival Kwiatkowski Mayer.

A primeira sede da instituição foi instalada em uma das salas da Extensão Administrativa do município, no prédio conhecido como antigo Colégio das Irmãs (atual Secretaria Municipal de Educação e Cultura), à época locado pela prefeitura para abrigar vários órgãos da administração municipal.
Para coordenar a Casa da Memória, foi designada a professora Zuleime Brongiel, do quadro permanente do Município, a qual recebeu treinamento em órgãos do governo estadual encarregados da área de museologia e história. Por volta de 1989 aproximadamente, a instituição foi desativada e a professora Zuleime Brongiel transferida para outra área da administração.

Em 14 de novembro de 1994, o município de São Mateus do Sul adquire junto à Congregação da Missão da Província do Sul, de Padres Vicentinos, o imóvel registrado no Cartório de Registro de Imóveis sob nº 13.175, situado na esquina da Avenida Ozy Mendonça de Lima com a Rua 21 de setembro, o qual durante várias décadas tinha sido ocupado pela residência dos padres e escritório paroquial, e que se encontrava então alugado para fins comerciais, com a finalidade de instalação da Casa da Memória. A escritura de transferência do imóvel estabeleceu que o mesmo só pode ser utilizado para fins culturais e o valor da aquisição na época foi de R$35 mil, pagos em dez parcelas mensais com juros de 12% ao ano e correção monetária.
Em 1995, quando já prefeito municipal, Argos Fayad baixou o Decreto nº 143/95, datado de 15 de fevereiro de 1995, regulamentando o funcionamento da Casa da Memória e vinculando-a ao Departamento Municipal de Cultura. O Decreto conta com um anexo que estabelece as finalidades da Casa da Memória, classificando-a como instituição de natureza científica e cultural, voltada à pesquisa nas áreas de ciências sociológicas, antropológicas e naturais, destinada a investigar, recuperar e registrar a cultura local, mantendo a memória do cotidiano anônimo e de sua gente, tendo por finalidade o estudo da cultura material e espiritual e do processo histórico com suas transformações e o incentivo às artes plásticas, cênicas, musicais e literárias.

Nesse tempo, o município participava do Projeto “Paraná da Gente: Terra, História, Memória”, desenvolvido pela Secretaria de Estado da Cultura, tendo então sido contratado para atuar no projeto o professor Vilácio Amaral, que uma vez encerrado o projeto, que foi coordenado regionalmente pelo município de São Mateus do Sul, acabou sendo designado para coordenar a Casa da Memória, tendo permanecido no posto até o dia dois de abril de 2008, quando foi aposentado compulsoriamente.
A Casa da Memória foi inaugurada solenemente no dia 16 de setembro de 1995, sendo que pelo Decreto Municipal nº 217/96 de 24 de junho de 1996, a instituição recebeu o nome de Casa Padre Bahuer, em homenagem ao padre Boleslau Bahuer, que coordenou a construção da atual Igreja Matriz de São Mateus.
A casa abriga um acervo composto por aproximadamente três mil objetos de valor histórico, quase quatro mil fotografias e em torno de dez mil documentos escritos, além de uma pequena biblioteca de temas regionais, constituindo um dos maiores acervos históricos preservados na região do médio Vale do Iguaçu.
 

Ana Paula Shereider/ Hoje Centro Sul