Um planejamento concreto para o Hospital Darcy Vargas é a meta da nova diretoria - Jornal Iratiin

Recente

Home Top Ad

Post Top Ad

sábado, 30 de maio de 2015

Um planejamento concreto para o Hospital Darcy Vargas é a meta da nova diretoria

No sábado (23), na Câmara Municipal de Rebouças, a única chapa inscrita para as eleições da nova diretoria do Hospital Dona Darcy Vargas foi eleita por aclamação.

Luiza Andrade
Com o resultado, agora o Hospital tem nova diretoria, que é composta pela presidente Regina Ducat, vice-presidente Roberval da Silva, primeiro-tesoureiro, Miguel de Melo; segundo-tesoureiro, Eliane da Conceição Senkiw Nofre; primeiro-secretário, Márcio José Gobor; conselho fiscal, Claudete Celezinski, Nilza Luz e Cassiane Moreto. Suplentes: Idione Roveda de Carli, Olga Tumasz e Luis Fernando de Castro.

O novo diretor administrativo do Hospital Dona Darcy Vargas, Márcio José Gobor, explica que a diretoria pretende modificar toda a forma de ação do Hospital.

“A casa estava cheia no dia da aclamação. Isso já mostra que a nova diretoria tem o apoio dos moradores de Rebouças. Nosso principal objetivo é construir um planejamento concreto e readequar o que não está funcionando”, conta.

Segundo ele, o primeiro passo da nova diretoria é fazer o levantamento financeiro da instituição e, com isso, traçar um plano de ações.

Dentre os primeiros trabalhos a serem realizados pelo novo corpo administrativo, Márcio destaca dois: ajustar o contrato do pronto socorro e resolver a situação da ala dos Cuidados Continuados Integrados (CCI).

“Precisamos, urgentemente, readequar o contrato do pronto socorro com o município. Ele expirou em abril e ainda não foi renovado. Estudaremos uma nova proposta, que beneficie ambos os lados, e vamos enviar à Prefeitura. Sobre o CCI, iremos nos reunir com a 4ª Regional de Saúde e discutir a viabilidade dos recursos e o que pode ser feito para contornar a situação”, completa.
Ainda sobre o CCI, Márcio ressalta que há urgência em regulamentar todos os documentos do Hospital.

“O CCI, na questão do atendimento ao paciente, foi algo 100%. Todos que passaram por lá, saíram melhores. Agora, na questão financeira, está sendo um problema. O retorno financeiro foi barrado, porque o hospital está com os documentos pendentes. Se eles não forem entregues, as verbas não irão chegar e essa situação só irá se alongar mais”, afirma.

Portas abertas
O novo diretor administrativo conta que a expectativa para a solução dos problemas do Hospital é grande e destaca que novas oportunidades já estão surgindo.
“Só pelo fato da diretoria ter mudado, novas portas voltaram a se abrir. É claro que precisamos ter os pés no chão e avaliar cada uma, antes de fazer qualquer coisa. Mas estamos esperançosos que a situação melhore e nosso hospital volte a crescer”, finaliza.

Kyene Becker/Hoje Centro Sul