Jiu-jitsu cresce na região e jovem campeão surge em Irati - Jornal Iratiin

Recente

Home Top Ad

Post Top Ad

quarta-feira, 27 de maio de 2015

Jiu-jitsu cresce na região e jovem campeão surge em Irati

O brazilian jiu-jitsu, ou simplesmente jiu-jitsu, é uma arte marcial genuinamente brasileira que surgiu através da família Gracie, principalmente por Hélio Gracie, lutador que pegou um estilo de luta japonês e o adaptou para seu menor peso e tamanho, assim criando o estilo. Tendo sua origem datada no começo do século XX, a modalidade cresceu e se popularizou graças aos eventos de artes marciais mistas (MMA), e, aos poucos, a região Centro Sul também vem abraçando o esporte.

Arquivo Pessoal

Um reflexo desse crescimento é o título de campeão brasileiro infantil que o iratiense Henrique Strassmann Laskoski conquistou. Ele ficou em primeiro lugar dentre todos os atletas do país, no começo do mês de maio, em competição realizada em Barueri-SP. O título não foi o primeiro da carreira do jovem de 11 anos, além desse, já conquistou dois títulos paranaenses.

Laskoski começou a praticar o esporte cerca de dois anos atrás devido ao peso que tinha na época. “Ele era uma criança gordinha e era importante começar a praticar algum esporte, então começou a fazer muay thay [outra luta] e logo entrou no jiu-jitsu”, conta Vinícius Laskoski, pai do atleta que acredita que a grande perda de peso da criança foi graças à prática esportiva aliada a uma alimentação saudável.

O sucesso do garoto não é visto como surpresa por Leandro Bugay, professor de jiu-jitsu do atleta, já que nos treinos sempre mostrou vontade e perspicácia. “O Henrique se dedica ao máximo nos treinos, além disso, aprende rápido as coisas e as aplica bem, isso é importante para um lutador, fora a humildade que ele carrega, algo essencial na formação”.


Arquivo Pessoal

Apesar do precoce sucesso no esporte, Vinícius prefere não criar muitas expectativas  para o filho. “Claro que são muito legais essas conquistas, motivam ainda mais ele a continuar no esporte, mas é preciso compreender que ele ainda é uma criança, então não dá para colocar pressão nele para continuar nos campeonatos, tem que ser o que ele decidir”, comenta o pai, acrescentando que não procura patrocínio justamente para não criar uma cobrança maior para o filho em relação aos resultados.

Além das competições
Mais do que uma busca por resultados, as pessoas envolvidas com o jiu-jitsu apontam que o esporte vai muito além disso, sendo uma atividade muito boa para a evolução física e mental. “Além de ser uma atividade que trabalha todos os movimentos do corpo, ela provoca no atleta uma busca pelo desenvolvimento pessoal, melhorando a consciência da pessoa, pra mim é isso que, com respeito a outras lutas, difere o jiu-jitsu do resto”, fala Alisson Silva, instrutor da modalidade no município de Rebouças.

O treinador Bugay tem opinião semelhante a de Silva e complementa quanto aos benefícios da modalidade. “Aos poucos as pessoas vão percebendo que o jiu-jitsu não é esporte de valentão, de gente que briga na rua, é um esporte que traz grandes benefícios físicos e, sobretudo, mentais, já que a pessoa aprende a se controlar melhor e ganha muita auto-estima”.

Uma das pessoas que há muito tempo percebeu os benefícios do jiu-jitsu foi o advogado e professor da arte marcial, Renato Hora, que relata que se apaixonou pela luta antes mesmo de começar a treinar. “Lendo sobre o jiu-jitsu vi que ele ajuda no desenvolvimento motor, na definição do corpo, no combate ao estresse, acelera o metabolismo, melhora a resistência. Então, na hora, já achei que seria interessante treinar a arte, e assim sigo até hoje, os anos se passaram e a dedicação permanece a mesma, só o carinho que aumentou”, relata Hora.

Raphael Gierez