Moradores do bairro Pedreira reclamam de retirada de ponte improvisada - Jornal Iratiin

Recente

Home Top Ad

Post Top Ad

sábado, 26 de julho de 2014

Moradores do bairro Pedreira reclamam de retirada de ponte improvisada

Os moradores do bairro Pedreira, em Irati, reclamam da retirada da passarela improvisada que dá acesso à uma escola municipal (fundos do Fórum Eleitoral). A ponte principal, que ligava a rua Diamante ao colégio, foi derrubada devido a força das águas da enchente, que atingiram a cidade de Irati no início de junho.

@Vagner dos Passos/Hoje Centro Sul
A moradora Maria Sloma conta que a ponte improvisada sobre o rio já foi reconstruída três vezes. “Com a enchente que deu em junho, a água levou todas as madeiras da ponte. Então, os homens daqui se reuniram, juntaram as madeiras da antiga ponte e fizeram uma passagem improvisada. Depois disso, deu outra chuva e levou a ponte improvisada. Novamente, eles se reuniram, recolheram as madeiras e fizeram tudo de novo. Daí, veio um trator com cabo de aço e tirou todas as tábuas. Eu não sei de onde o trator era, mas acho que era da prefeitura. Sei que agora foi reconstruída de novo”, explica.

O secretário de Obras e Serviços Urbanos, Luciano Menon, fala que a ponta improvisada foi retirada pela prefeitura, porque houve denúncias de moradores. “Recebemos ligações de pais de crianças e outros moradores, eles disseram que uma menina havia caído dentro do rio, tentando atravessar pela passarela. Chegamos no local e vimos que a ponte foi colocada dentro do rio e representava perigo. Os adultos até conseguiam passar por ali, mas as crianças não, não tem segurança”, afirma.
Maria diz que a passarela é importante, pois muitas crianças precisam ir para a escola sozinhas e o desvio é muito grande. “Ali as crianças vão pra aula, tem criança pequena e isso aqui é importante pra nós. Tem um desvio, mas pra fazer o desvio e chegar à escola, vai uns 3km. Tem mãe que não pode acompanhar o filho até o colégio, então eles têm que ir sozinhos. É muito mais fácil pra eles irem pela ponte”, afirma.

Menon diz que o desvio existe sim e vale a pena o esforço para chegar à escola com segurança. “Tem o desvio e vale muito mais a pena ir por ali, chegar com segurança à escola, do que se arriscar dentro do rio”, explica.

Maria afirma que outros moradores já tentaram contatar a prefeitura para resolver a situação. “Tem um senhor aqui do bairro que já foi umas duas ou três vezes na Prefeitura. Na primeira vez, eles disseram que não tinham condições de reconstruir a ponte, foi então que os moradores resolveram fazer a passarela improvisada. Na segunda vez, eles falaram que o prefeito não estava e essa semana ele vai retornar lá, pra ver o que pode ser feito”, explica. Segundo a prefeitura, o projeto para a reconstrução da ponte já está sendo viabilizado, mas ainda não há previsão para o início das obras. Segundo Menon, uma nova licitação para a compra de materiais precisa ser realizada.

Kyene Becker