Dia da vovó é comemorado no dia 26 de julho - Jornal Iratiin

Recente

Home Top Ad

Post Top Ad

quinta-feira, 24 de julho de 2014

Dia da vovó é comemorado no dia 26 de julho



 Muitos apontam a avó como uma segunda mãe, pois usualmente são responsáveis pelos cuidados e carinhos, além das próprias mães.

Nesta sexta-feira (26), comemora-se o Dia da Vovó, e data foi escolhida porque é Dia de Santa Ana, mãe de Maria e avó de Jesus Cristo.
A escritora Rachel de Queiroz traduziu o que é ser avó.  “Netos são como heranças: você os ganha sem merecer. Sem ter feito nada para isso, de repente lhe caem do céu. É, como dizem os ingleses, um ato de Deus. Sem se passarem as penas do amor, sem os compromissos do matrimônio, sem as dores da maternidade. E não se trata de um filho apenas suposto, como o filho adotado: o neto é realmente o sangue do seu sangue, filho de filho, mais filho que o filho mesmo”.

A vovó Cenira Ortiz Ferreira, 66 anos,  é viúva e tem sete netos. Segundo ela, é um sentimento maravilhoso ter netos e acompanhar o crescimento deles. “Neto é segundo filho(a). Neto é uma coisa maravilhosa. Neto é preocupação em dobro, porque a gente se preocupa muito, como se fosse um filho(a). É o neto que continua a família. Eu tenho sete netos, que são todos educados e que me respeitam muito, e eu amo todos eles. Eu sou uma avó bastante presente, educo, oriento, puxo a orelha, além, é claro, de muitos beijos, abraços e alguns agrados”, diz.

Cenira reside com sua mãe Tereza Ortiz Ferreira e cuida sozinha dela. Dona Tereza completou recentemente 99 anos, é viúva, tem 12 filhos e 62 netos, além dos bisnetos, e segundo ela, a companhia da família a deixa muito feliz. Quando os netos ficam um dia sem visitá-la, já sente falta. “Eu me sinto muito alegre quando vejo meus netos. E quando eles estão do meu lado, eu fico abraçando, pegando e beijando eles”, acrescenta.
Os netos alegram os dias de Dona Tereza, é o que afirma Cenira. “É uma coisa muito bonita quando meus filhos aparecem aqui em casa fazer visitas,porque eles brincam e conversam muito com a vó deles e dão muito carinho e atenção. Ela é uma pessoa muito sentimental e precisa muito de tudo isso, para se sentir amada e lembrada”.

Cenira Ortiz Ferreira (à esquerda) e sua mãe Tereza Ortiz Ferreira (à direita),
ambas acreditam que a presença e o
vínculo da avó é fundamental na vida dos netos.
Para Cenira, sua mãe é uma mulher forte e guerreira. “Minha mãe já sofreu muito nessa vida, porém se divertiu bastante também. Ela foi uma mulher que viajou e trabalhou muito. Até certa idade criou os filhos sozinha e é uma excelente avó. Hoje está aí, firme e forte. Os médicos até já comentaram comigo, que pela idade que ela tem, está muito bem de saúde”, expõe.

Com lágrimas de emoção, Dona Tereza diz que ainda pretende viver mais alguns anos. “Eu me sinto bem e sou feliz. Caminho por toda casa, como sozinha, assisto televisão, ouço rádio e converso. Só pra fora da casa que eu não saio. E acredito que ainda vou viver mais uns quatro ou cinco anos”.

Já a vovó Josefa Alibozek de Souza, 77 anos, é viúva,  vive sozinha na área rural de Irati (PR) e tem 12 netos. Ela conta que sua família sempre viveu da agricultura e ela trabalhou muito ajudando os pais desde jovem no ramo. “Eu só trabalhei com agricultura. Junto com meu marido e filhos já plantei fumo, feijão, milho, batatinha, cebola. Mas, agora eu só cuido da casa, das criações e planto algumas verduras”, comenta.

A vovó Josefa Alibozek de Souza vive sozinha no interior de Irati.
De acordo com ela, as visitas frequentes dos netos
 fazem com que ela não se sinta tão sozinha.
Hoje, aposentada, Josefa vive uma vida tranquila no interior e diz que sua família é seu porto seguro. “Meus netos me visitam todos os fins de semanas, e isso me faz muito bem, pois moro sozinha e adoro receber a visita deles. Antigamente eu tinha medo de um dia ter que morar sozinha. Nunca pensei que esse dia fosse chegar. Seria bom se tivesse alguém para vir morar comigo. Mas, como não tem, vou levando a vida assim. Eu amo todos os meus netos, filhos e toda minha família. Meus netos são todos educados, inteligentes e trabalhadores, sinto um imenso orgulho deles. Eu até penso quando eu morrer, o griteiro que meus netos vão fazer, porque são muito apegados a mim e me querem muito bem”, finaliza sorrindo.








Parabéns pelo seu dia Vovó! Você que é duas vezes mãe... duas vezes carinho... duas vezes amor... duas vezes compreensão... A equipe do Jornal Hoje Centro Sul, deseja à todas as vovós um Feliz Dia da Vovó, e também deixamos um abraço especial para todos os vovôs, que além de tudo, são essenciais para a educação e formação de seus netos.

Texto e Fotos: Thaís Siqueira/ Hoje Centro Sul