Humorista iratiense é sucesso na comédia televisiva nacional - Jornal Iratiin

Recente

Home Top Ad

Post Top Ad

sexta-feira, 2 de agosto de 2013

Humorista iratiense é sucesso na comédia televisiva nacional

682_marcoO jornal Hoje Centro Sul (HSC) conversou com o iratiense Marco Zenni, humorista do programa Amigos da Onça, transmitido em rede nacional pelo SBT. Zenni falou sobre a sua vida, sua profissão e suas impressões sobre a comédia nacional contemporânea. A entrevista – feita por telefone – aconteceu logo após uma das gravações para o programa.

HCS – O programa Amigos da Onça surgiu no SBT ou era um projeto anterior que foi adaptado para o veículo?

Marco Zenni – É um projeto da Warner, na verdade. O SBT comprou os direitos para a reprodução aqui no Brasil. A direção do programa fez alguns testes e o elenco atual foi escolhido para estrear no quadro.

HCS – Como foi a decisão de optar pelo humor?

Marco Zenni – Sou ator e diretor. Então sempre percorri os diversos gêneros da dramaturgia. Fazia um pouco de cada coisa. Um belo dia, o humorista Diogo Portugal me convidou para fazer uma participação em um dos seus shows de comédia em 2004. Eu fui e me apaixonei. Depois disso comecei a investir mais na área da comédia e hoje vivo disso.

HCS – Além do humor, você atua em outros gêneros hoje em dia?

Marco Zenni – Não dá tempo. Gosto muito de atuar em outros gêneros, mas o humor já preencheu toda a minha agenda. De vez em quando encontro tempo para participar de outras coisas como filmes, por exemplo. É o caso do filme Estômago, produzido em 2007. Mas é raro.

HCS – Alguma experiência de palco marcante que você gostaria de compartilhar?

Marco Zenni – O show que fiz um dia depois que a minha filha morreu. Ela não resistiu ao parto e foi um dos acontecimentos mais difíceis que já enfrentei. Além disso, como eu já disse, eu tinha um show de stand up no dia seguinte. Quando cheguei no local da apresentação, algumas pessoas me aconselharam à não entrar, se eu não tivesse condições. Mesmo assim, entrei. E foram os meus melhores 15 minutos de palco em toda a minha vida. Estava completamente compenetrado no texto e o público riu muito. As gargalhadas funcionaram como uma espécie de “muito obrigado”. Depois que terminei a apresentação, entrei novamente no palco e agradeci as pessoas por tudo aquilo. Depois desse dia, o riso provocado pelo que eu faço tem um significado especial para mim.

HSC – Como muitos da sua geração que hoje trabalham na TV, o Youtube foi um grande aliado na divulgação e popularização do stand up – até então desconhecido no país. Qual é a sua visão sobre essa evolução do gênero no Brasil?

Marco Zenni – É gratificante saber que, hoje em dia, quase todo mundo sabe pelo menos um pouco sobre o que é stand up. Como você disse, o Youtube é um dos grandes “culpados” disso. Quase todos os comediantes que surgiram na mesma época que eu se favoreceram do uso da internet para divulgar o trabalho e, hoje em dia, muitos dos humoristas famosos da atualidade saíram das telas dos computadores para as telas da televisão. É claro que, com a popularização, aparecem ótimos comediantes e péssimos comediantes, mas isso faz parte de qualquer coisa popular. Além disso, essa proliferação do gênero na velocidade que aconteceu gerou uma certa confusão sobre o que é, de fato, stand up. Nesse estilo, você não é um personagem, muito menos um contador de piadas simplesmente. No stand up, você é você mesmo, vestido como você se veste sempre e falando sobre coisas do seu cotidiano – sem copiar o texto ou as piadas de ninguém. É aí que o stand up acontece.

HCS – Qual é o conselho que você deixa para quem quer ganhar a vida com stand up?

Marco Zenni – Ame o que você faz e seja original. Não adianta sair catando piadas de todos os lugares. Isso não é stand up. Nesse gênero, as pessoas querem sacadas inteligentes sobre assuntos do cotidiano. Para isso, você precisa ser necessariamente original. É como se só você oferecesse um serviço e o público que vai no seu show irá consumi-lo com exclusividade. Por isso, sempre digo que ser comediante nesse gênero é muito complicado. Você não é um personagem e não é contador de piadas. O riso tem que surgir das situações pelas quais você passou e é aí que entra a habilidade do comediante – transformando em comédia coisas que, aparentemente, não iriam ter graça.

HCS – Antes de finalizarmos, você tem alguma piada sobre Irati?

Marco Zenni – Tenho sim. Costumo dizer que Irati é uma cidade de 5 mil habitantes e 15 mil polacos (risos). Brinco, mas toda minha família é de Irati. Sou iratiense de coração e levo minha cidade por onde passo.

Texto: Lucas Waricoda
Fotos: Reprodução