Irati é modelo na recuperação de nascentes - Jornal Iratiin

Recente

Home Top Ad

Post Top Ad

sexta-feira, 26 de julho de 2013

Irati é modelo na recuperação de nascentes

Universitários de Francisco Beltrão vieram aprender a técnica em Irati para que possam aplicá-la em seu município

Dois universitários do quarto ano do curso de Engenharia Ambiental da UTFPR (Universidade Tecnológica Federal do Paraná), campus de Francisco Beltrão, estiveram em Irati para conhecer a técnica de recuperação e proteção de nascentes à base de solo cimento aplicada pela secretaria municipal de Meio Ambiente.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOs estudantes, Marcos Vinicus Pagliarini e Tayoná Cristina Gomes, foram à propriedade de Pedro e Joana Teleginski, no assentamento Mario Lago, onde vivem aproximadamente 20 famílias, para acompanhar a recuperação de uma nascente. O filho dos agricultores e estudante de Agroecologia do IFPR (Instituto Federal do Paraná), Reginaldo Teleginski, e o estagiário do curso de Engenharia Ambiental da Unicentro, Enzo Luigi Crisgiovanne, acompanharam os estudantes do Sudoeste do Paraná.

O trabalho foi coordenado pelo técnico em Meio Ambiente e colaborador da secretaria municipal de Agricultura, Alessandro Trybek. “Esta técnica tem alta durabilidade e é autossustentável, pois utiliza o que tem na propriedade. Desde 2007 já realizamos este trabalho com a parceria do Colégio Florestal”, conta Trybek.

Reginaldo conheceu a técnica em uma apresentação de Trybek no IFPR e se interessou em desenvolvê-la na propriedade da família. “Para nós a satisfação é grande e a recuperação só traz vantagens. Mesmo sem saneamento básico, temos uma água de ótima qualidade. Agora nossa intenção é disseminar cada vez mais a técnica”, conta o estudante.

A vinda de Marcos e Tayoná para Irati foi intermediada por uma professora, que conhecia a técnica e sabia do interesse dos alunos. “O que vimos aqui foi além do que nós esperávamos. A técnica é trabalhosa, mas é fácil de executar e o resultado é rápido. É algo que não temos na nossa região”, relata Tayoná.

Os acadêmicos pretendem conversar com professores para desenvolver um projeto e aplicar a técnica primeiramente às nascentes que estão dentro da área da universidade. “Nós já tínhamos ouvido falar, mas nunca tínhamos visto. O resultado é imediato, logo depois de concluir o trabalho vemos a água saindo limpa. E a questão sócio-ambiental também é muito importante. Essa nascente preservada trará benefícios não apenas para a família, que vai ter água limpa, mas também para o meio ambiente”, afirma Marcos.

Assessoria Prefeitura de Irati