Secretário interino presta contas da pasta de Indústria e Comércio - Jornal Iratiin

Recente

Home Top Ad

Post Top Ad

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Secretário interino presta contas da pasta de Indústria e Comércio

[caption id="attachment_25256" align="alignleft" width="420" caption="À esquerda, o secretário de Indústria, Comércio, Serviços e Artesanato, Estanislau Fillus, recebe informações do secretário interino da pasta, Luiz Valdir Slompo de Lara, e da funcionária do setor, Sueli Zuber"][/caption]

Irati - O secretário municipal de Finanças e Tributação, Luiz Valdir Slompo de Lara, que assumiu interinamente a secretaria de Indústria, Comércio, Serviços e Artesanato, repassou ao novo secretário da pasta, Estanislau Fillus, um relatório daquilo que foi realizado no primeiro mês de governo, enquanto estava responsável pelo setor. "O que fizemos até agora vai ao encontro da proposta de governo do prefeito, Odilon Burgath, que é fortalecer a economia do município, dando apoio às empresas existentes e desenvolvendo o empreendedorismo em Irati, além de criar mecanismo para a atração de novas indústrias para a cidade. Iremos promover a qualificação profissional e a valorização do artesão, do pequeno e microempresário", observou Slompo. A funcionária do setor, Sueli Zuber, também participou do encontro que aconteceu no dia 18.


Novos programas
A adesão a dois novos programas foi destacada por Slompo. O primeiro é o programa Cidade Empreendedora, do Sebrae, cujo objetivo é fomentar o desenvolvimento local. As ações dessa iniciativa visam também o fortalecimento das micro e pequenas empresas e o estímulo ao empreendedorismo.
O segundo programa é o Bom Negócio Paraná, que deve capacitar micro e pequenos empresários. A capacitação será realizada em curso de gestão empresarial ministrado em parceria com a Unicentro (Universidade Estadual do Centro-Oeste). Os empreendedores que participarem da capacitação estarão aptos a pleitear créditos de R$ 1000 a R$ 300 mil para investimento em suas empresas.
Slompo frisou a importância de se trabalhar em parceria com o Sebrae e a ACIAI, além das associações de empresas e sindicatos, entre outros órgãos representativos. Também devem ser envolvidos nas capacitações os jovens com idade a partir de 16 anos, objetivando despertar neles o empreendedorismo.


Contatos com empresas
No primeiro mês de governo, a secretaria de Indústria e Comércio fez contato com quatro grandes empresas que podem se instalar no município, além da emissão de alvarás para empreendimentos menores. "Foram liberados 54 alvarás", enumera Slompo de Lara.


Show room
Entidades representantes dos artesãos, da Indústria e Comércio de Irati também foram contatadas. Na primeira reunião com o grupo, apresentou-se a ideia da criação de um projeto que consiste na construção de um show room para expor e comercializar no atacado todos os produtos fabricados em Irati, dos artesanais aos industrializados. O local deve ser instalado às margens da BR-277 e ter todos os produtos em exposição, em catálogos ou no local. "Além da comercialização dos produtos no local, serão contratados vendedores externos e um site para a demonstração e comercialização dos produtos. Quem não tem empresa deve se cadastrar como microempreendedor individual para poder emitir nota fiscal. Essa iniciativa fortalece o empresariado local, divulga e incentiva a comercialização dos nossos produtos", disse Slompo.


Diagnóstico dos condomínios
Os dois condomínios industriais de Irati, localizados na Vila São João e na BR-277 estão sendo estudados pela secretaria. De acordo com Sueli, está havendo levantamento topográfico para verificar a localização e medidas corretas dos lotes. Pesquisa deve apontar se as empresas que estão localizadas nestas áreas estão atendendo à finalidade proposta e se estão gerando empregos e renda, uma vez que elas ocupam o local por meio de permuta ou doação.
Para a instalação de novas empresas nos condomínios, novas regras estão sendo estudadas, com base em modelos de outros municípios. Todas as ideias devem ser aprimoradas e aprovadas. Entre elas está a exigência de que o terreno não possa ser alienado nos primeiros cinco anos de ocupação. A empresa também deverá cumprir percentual de contratação de funcionários com idade superior a 50 anos e jovens, a partir dos 16.
Estuda-se também a possibilidade de isentar as empresas de alguns impostos, desde que o valor economizado seja comprovadamente investido em aumento de capital. No caso de encerramento das atividades, a doação ou concessão do terreno deve ser revertida e, para mudança de ramo de atividade, a prefeitura deverá ser consultada. "Vamos oferecer todas as condições de instalação para empresas mediante projeto de implantação, planejamento de viabilidade econômica e prazos para crescimento", afirmou Slompo. Com a nova lei, será possível também estabelecer as regras de fornecimento de serviços, a exemplo de terraplanagem, às empresas que se instalarem no município.


 

Texto e fotos: Assessoria PMI


Publicado na edição 660, 27 de fevereiro de 2013.