Proerd 2013 inicia atividades nesta semana - Jornal Iratiin

Recente

Home Top Ad

Post Top Ad

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Proerd 2013 inicia atividades nesta semana

O Programa Educacional de Resistência às Drogas e Violência contemplará 19 escolas da rede municipal, divididas em dois ciclos semestrais


Irati - Começam nesta semana as atividades do Programa Educacional de Resistência às Drogas e Violência - PROERD, desenvolvido em todo o Paraná pela Polícia Militar em parceria com as Secretarias de Educação da rede de ensino fundamental pública e particular. Em Irati, o programa atenderá, em 2013, a 19 escolas municipais do quadro urbano, sendo nove escolas no primeiro semestre, envolvendo 288 alunos, e outras dez escolas no segundo semestre, abrangendo a outros 252 estudantes. Ao fim do ano, o programa terá atingido 540 crianças.
De acordo com a coordenadora pedagógica da Secretaria Municipal de Educação, Kátia Kschevy Rodrigues, que ficou responsável por coordenar este projeto, a opção em dividir por dois ciclos serviu para permitir que mais alunos venham a ser atendidos pelo programa. Segundo ela, quem ministrará as 11 lições contidas no curso será o Cabo Xavier, um policial que recebeu treinamento pedagógico para estar dentro de sala de aula e se dedica a este projeto há algum tempo.
As crianças recebem uma cartilha que aborda os temas centrais do programa: enfrentamento à violência, ao fumo, álcool e outras drogas. Conforme a coordenadora pedagógica, os temas são abordados com conteúdo e linguagem bem próximos da realidade e do contexto vivenciado por esses alunos, que possuem idades entre nove e 12 anos, e são alunos do 5º ano do Ensino Fundamental.
Kátia comenta que o programa possui uma relação bastante interessante com o conteúdo programático já trabalhado em sala de aula em algumas disciplinas. "Os professores citaram vários pontos positivos do Proerd: a aceitação dos alunos e sua mudança de atitude - tanto na escola quanto em suas famílias, em sua relação com o álcool, o cigarro; a cobrança dos filhos em casa [quanto ao comportamento dos pais em relação ao fumo e álcool]", cita a coordenadora pedagógica.
O reconhecimento da importância deste programa é destacado por Kátia, que comenta que uma diretora de escola a abordou e questionou sobre o motivo de a instituição não ter entrado na lista das escolas que participarão do programa. Ela aponta a dificuldade de abranger um número maior de escolas pelo fato de ser apenas um instrutor, também comprometido em atender outras cidades da região.
Além disso, ela aponta que, para o Proerd, foram priorizadas as escolas do quadro urbano pelo fato de que as rurais já estão inseridas em outros programas mais voltados ao seu contexto social. A opção também vai ao encontro da política adotada pela Secretaria Municipal de Educação, que é o de selecionar projetos que contribuam com a especificidade da educação, que é o acesso ao saber elaborado e sistematizado.
Kátia observa que a opção se determinou mais por uma questão de deslocamento do instrutor também do que por haver alguma diferença na vulnerabilidade e exposição das crianças do meio rural a esses temas em relação às que vivem no quadro urbano. "A cada ano vamos adequando, alternando, para que nenhuma fique sem. Mas todas participam, seja neste ano ou no próximo. Até porque é somente um instrutor que atende na região. Ele é responsável, se não me engano, por Irati, Fernandes Pinheiro e Inácio Martins. Então ele não dá conta de tudo e, por isso, é impossível abranger um número maior de escolas", reforça. A coordenadora cita que já apelou ao tenente Medeiros, que coordena o Proerd no Paraná, para que traga mais um instrutor para a região, a fim de atender a mais escolas.


Como funciona
O Proerd administra em sala de aula conteúdos relacionados a saúde, ciência, estudos sociais e outros pertinentes e, nas aulas, os alunos aprendem a desenvolver a auto-estima e a enfrentar tensões e resistir a pressões externas a respeito de drogas e violência. Além disso, elas desenvolvem o civismo. O professor tem papel fundamental no apoio ao policial durante as aulas.
O programa aposta na interação, pela formação de grupos em aprendizado cooperativo. Outro elemento importante no Proerd é o uso de alunos líderes naturais, que não usam drogas, como modelos positivos de influência. O trabalho também se apoia no tripé escola - família - Polícia Militar para o bom desenvolvimento do projeto.


Escolas envolvidas
No primeiro semestre, participam as escolas: Eduardo Laars (Camacuã); Rosalina; Mercedes Braga; José Siqueira Rosas; Padre Wenceslau; Tancredo Martins; Plínio Anciutti; Pequeno Duque e Ir. Helena. No segundo, serão: Lagoa; João Paulo II; São Valdomiro; João Maria Pedroso; João Batista Anciutti; Francisco Stroparo; Ana Amaral Gruber; F. V. Araújo; Olaria Filipaki e Antonina Fillus Panka.



Texto: Edilson Kernicki, da Redação


Publicado na edição 660, 27 de fevereiro de 2013.